MATÉRIAS DO JORNAL ATIVIDADE FÍSICA - novembro de 2013 - NÚMERO 172

CORPORE

 

Dr. David Cytrynowicz -Presidente da CORPORE

Dr. Amadeu Armentano - Presidente do Conselho Deliberativo da CORPORE

Prezado(a) corredor(a),

 
Prezado(a) corredor(a).
Nossa Corpore vem, ao longo dos anos, procurando cumprir seus objetivos de difundir saúde, educação e cidadania através da corrida e da caminhada.
Ludicidade à parte, temos conseguido um pouco mais.
Temos ajudado a criar e/ou mudar hábitos pouco saudáveis para saudáveis, com aumento significativo na constância destes, advindo daí resultados bastante positivos, não só para o indivíduo, mas para a sociedade como um todo, que a cada dólar (moeda de referência) aplicado em esporte, outros quatro são economizados em saúde.
Além disso, vimos desde a fundação apoiando os mais variados tipos de corredores, casos de Joaquim Cruz, medalha de ouro nos 800 metros, nos Jogos Olímpicos ocorridos na cidade de Los Angeles em 1984.
Poderíamos citar outros e outros casos, mas vamos dar destaque especial à Associada Corpore, Elóia Rosa de Matos, da equipe Clube Espéria/Dynafit Assessoria Esportiva e que é treinada pelo conhecido preparador físico Marcos Feitosa.
Elóia venceu os 5.000 metros no Campeonato Mundial de Veteranos, realizado na cidade de Porto Alegre, no dia 18.10. 2013.
Atentemos para o fato de que sua especialidade é a prova de 1.500 metros.
É muito gratificante poder divulgar e homenagear atletas, equipes e treinadores além de que, quando for o caso, seus patrocinadores.

 

 

 

Atividade física e a inclusão social

 

 

 

                                                                                                                                           

Ariane Pratti - Redatora do jornal Atividade Física

Roberto Losada Pratti- Personal trainer e diretor do jornal Atividade Física

A inclusão social é um tema o momento e que tem até seu dia decretado pela lei federal número 12.073 de 29 de outubro de 2009, com a seguinte redação: “Art. 1o É instituído o dia 10 de dezembro de cada ano como o Dia da Inclusão Social, com o objetivo de promover e conscientizar toda a sociedade sobre a importância dos direitos humanos e sua efetividade.”
Em 2007, o MEC fez uma publicação sobre Inclusão e Exclusão Social com extensa explanação teórica em que cita que “a inclusão, portanto, implica mudança desse atual paradigma educacional, para que se encaixe no mapa da educação escolar que estamos retraçando”.
Por sua vez, o Ministério da Saúde tem outra abordagem sobre o assunto e produziu o seguinte texto: “Incluir quer dizer fazer parte, inserir, introduzir. E inclusão é o ato ou efeito de incluir. Assim, a inclusão social das pessoas com deficiências significa torná-las participantes da vida social, econômica e política, assegurando o respeito aos seus direitos no âmbito da Sociedade, do Estado e do Poder Público.”
A UNESCO produziu o texto Inclusão Social no Brasil em que afirma que “As desigualdades sociais estão presentes em todo o país, o que se reflete em uma posição intermediária ocupada pelo Brasil no ranking de países do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)”.
Essa aparente complexidade na interpretação de inclusão e ações que visem a inclusão se desfazem na corrida de rua.
Hoje as corridas de rua têm categoria de deficiente visual, físico, auditivo e intelectual. Há premiação e largam em pelotão específico. 
O regculamento das corridas para deficientes é minucioso, longo e contempla todas as possibilidades. 
Nas corridas existem os guias para deficientes visuais.
Mas a corrida de rua não inclui somente os deficientes. Os idosos geralmente pagam a metade da inscrição. Também há classificação por faixa etária, o que faz com que se motivem para treinar e, como prêmio, além de kit, medalhas, troféus e dinheiro, ganham saúde e longevidade.
As corridas também incluem as crianças.  Há muitas corridas infantis e isso motiva para que tenham saúde.
As mulheres também são  incluídas nas corridas e a premiação hoje é igual à premiação dos homens. Há corridas exclusivas para mulheres.

 

Assim, a corrida, além da inclusão social, garante saúde e qualidade de vida.

 

Contemplados com a Bolsa Pódio 

 

Ministro do Esporte e Presidente da CBAt anunciam na FPA os contemplados 

 

Mauro Roberto Chekin

Presidente da Federação Paulista de Atletismo

 

 
A Federação Paulista de Atletismo (FPA) teve a honra de ter sua sede como palco da solenidade em que o Ministério do Esporte e a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) anunciaram, no último dia 28 de outubro, os nomes dos 19 atletas contemplados com o Bolsa Pódio, do Programa Brasil Medalhas, iniciativa do Governo Federal visando a uma boa participação do País nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.
A entidade representativa do atletismo bandeirante ficou mais satisfeita ainda ao saber que, dos 19 contemplados, 16 defendem as cores de clubes paulistas, o que definitivamente solidifica São Paulo como a locomotiva do Brasil também na modalidade.
Vale ressaltar que para ter direito à Bolsa Pódio, o atleta, entre outros critérios, precisa figurar entre os 20 primeiros do ranking mundial de sua prova. Isso não é fácil. Demanda muito esforço individual e muita abnegação e trabalho por parte da FPA, cujo Calendário de Atividades é um dos mais completos e recheados da América Latina.
O Governo de São Paulo é fator preponderante em tal sucesso, pois tem programas de incentivo importantes, como o Centro de Excelência Esportiva, grande revelador de talentos, que desenvolve através de sua Secretaria de Esportes, em parceria com a FPA.
O programa
A CBAt receberá, para tocar o programa, R$ 6,5 milhões por ano até 2016. Os repasses serão feitos pela patrocinadora oficial da entidade, a Caixa Econômica Federal.
“Além da preparação da infraestrutura para organizar a Olimpíada do Rio, achamos fundamental contribuir com os treinamentos dos atletas para que possam representar bem o povo brasileiro neste grande evento”, lembrou o ministro Aldo Rebelo ao longo do evento. E acrescentou:
“A sugestão feita à presidenta Dilma Rousseff foi aceita de imediato. Esta verba vai ser importante para os contemplados contarem com a ajuda de uma equipe multidisciplinar, como mé-dicos e fisioterapeutas, poderem viajar para treinar e competir no Exterior.”
José Antonio Martins Fernandes, o Toninho, presidente da CBAt salientou que o apoio complementar é importante.
“Estamos trabalhando para buscar bons resultados, estabelecendo uma filosofia única de preparação das categorias menores até a adulta. O apoio do Ministério do Esporte, do COB e dos nossos patrocinadores é fundamental”, comentou o dirigente.
O Programa Bolsa Pódio é um dos instrumentos do Plano Brasil Medalhas, que investirá mais R$ 1 bilhão até 2016 em 21 modalidades olímpicas e 15 paralímpicas, com chances de conquistar medalhas nos Jogos Olímpicos e nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. 
“A iniciativa não é só mais um recurso financeiro. É a possibilidade de os atletas poderem gerenciar suas carreiras em vários aspectos. No total, 145 atletas serão contemplados pelo Programa”, lembrou o secretário de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser.
Os atletas pré-selecionados tiveram o pleito analisado pela CBAt, Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Ministério e pela empresa pública patrocinadora (no do atletismo, é a CAIXA). 
Ao término da solenidade foi lembrado que a Federação Paulista de Atletismo cumprirá, no ano que vem, 90 anos de atividades ininterruptas, perfazendo um conjunto de realizações da mais altíssima importância sócio-esportiva.
Autoridades
Várias autoridades estiveram presentes ao evento. Entre elas, Paulo Galli, superintende da CAIXA em São Paulo; Gilmar Tadeu, secretário de Esporte e Turismo de São Caetano do Sul; José Alexandre Pena Devesa, secretário de Esportes de São Bernardo do Campo; Ronan Kayano Genório, representando o secretário de Esportes Lazer e Recreação (Celso do Carmo Jatene), além de dirigentes de clubes com atletas selecionados.
Os treinadores dos atletas também serão beneficiados pelo Programa. À cerimônia compareceram Elson Miranda, Katsuhico Nakaya, Neilton Moura, Evandro de Lazari, João Paulo Alves da Cunha, Paulo Servo Costa e Ricardo Barros.
 
Contemplados
 
Ana Cláudia Lemos (4x100 m)
Franciela Krasucki (4x100 m)
Rosângela Santos (4x100 m)
Evelyn Carolina Santos (4x100 m)
Fabiana Murer (salto com vara)
Keila Costa (salto triplo)
Jucilene Lima (lançamento do dardo)
Bruno Lins (200 m)
Anderson Henriques (4x400m)
Pedro Burmann (4x400 m)
Hugo Balduíno (4x400 m)
Wagner Cardoso (4x400 m)
Mahau Suguimati (400 m com barreiras)
Mauro Vinícius “Duda” da Silva (salto em distância)
Augusto Dutra (salto com vara)
Thiago Braz (salto com vara)
Fábio Gomes (salto com vara)
Ronald Julião (lançamento do disco)
Carlos Chinin (decatlo)
Os treinadores dos atletas também serão beneficiados pelo Programa. À cerimônia compareceram Elson Miranda, Katsuhico Nakaya, Neilton Moura, Evandro de Lazari, João Paulo Alves da Cunha, Paulo Servo Costa e Ricardo Barros.
 
 
 
 

Características de um corredor de fundo

 
 

Carlos Ventura - Técnico de Atletismo

 

Um bom corredor de longas distâncias, mesmo não sendo um campeão deve possuir  algumas características . Faça o teste: Você consegue se dar nota 3 em todos os 10 itens? Ou a pontuação é boa ( 2) ,ruim ( 1) , ou nota zero em algum item que de fato precisa trabalhar?

 

CARACTERÍSTICA

PONTUAÇÃO

Disciplina acima de tudo, inclusive para respeitar o repouso do treino, sem exceder o limite

 

Dedicação plena, sem ser fanático

 

Determinação –seja em sol forte, chuva, falta de tempo, vários problemas pra resolver: você se organiza o suficiente?

 

Otimismo

 

Personalidade marcante

 

Focar primeiramente em sua própria performance, mesmo que profissional

 

Equilíbrio emocional .Tranquilidade sempre

 

Alimentação balanceada, adequada de acordo com o treino e horários dele

 

Segurança no que faz

 

Honestidade

 

TOTAL:

________ de 30 pontos

 

É importante salientar que o   corredor de fundo deve sempre levar em conta seu período de repouso, que é tão importante quanto os treinos.

Constantes mudanças na  planilha de treinos mostram que algo está errado por parte do atleta ou por parte do treinador.

A disciplina não precisa ser espartana, mas deve ser bastante.

O atleta para conseguir bons resultados deve evitar uma vida social muito intensa,

Evitar o excesso de otimismo ou o excesso de pessimismo mostra equilíbrio emocional.

Uma vida equilibrada ajuda muito o atleta. Equilíbrio em tudo é fundamental,  e a alimentação merece destaque neste quesito.

Dor de lado

Prof. Luis Tavares

 

 
Qual o atleta que nunca sentiu uma dor aguda de lado ou pontada na região do fígado, no abdômen logo abaixo das costelas?
Essa dor tem diversas causas. Uma delas ocorre em pessoas destreinadas que estão voltando à prática desportiva, ou aquelas que praticam a corrida de vez em quando.
 
 
Mesmo os atletas bem condicionados podem sentir essas dores,  principalmente se estiverem se exercitando em excesso, além de suas capacidades.
 
 
A temperatura muito fria ou após grandes refeições também são   fatores que ajudam no aparecimento dessa dor.
 
 
 
 
 
Alguns especialistas dizem que a causa é uma diminuição de oxigênio no músculo do diafragma e dos músculos e intercostais (que ficam entre as costelas). Qualquer que seja a causa que a desencadeou, ela desaparece em pouco tempo. 
Assim que surgir a dor, diminua o ritmo da corrida, passando a trotar ou mesmo a andar, procurando massagear o local da dor. Estique os braços para cima, como se estivesse se espreguiçando, e retome o ritmo quando a dor desaparecer. 
Se a dor de lado continuar persistente a cada sessão de treino, pode estar relacionada com o modo de respirar. Procure durante a corrida respirar o mais naturalmente possível.

 

Atividade física já!

Manter o peso ou emagrecer está difícil para você? Anime-se... você faz parte da maioria. Quer se animar ainda mais? Então fuja literalmente correndo das estatísticas!

 

Segundo apontam dados do Ministério da Saúde, fato inédito ocorreu; o percentual da população brasileira com sobrepeso alcança mais da metade das pessoas acima de 18 (dezoito) anos.

 

VOCÊ TEM NOÇÃO DOS NÚMEROS? CONFIRA AS RESPOSTAS NO FIM DO ARTIGO

 

A referida pesquisa intitulada Vigitel 2012 (“ Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito telefônico), demonstra que _____________% da população (acima de 18 anos) entre homens e mulheres estão acima do peso adequado. Em 2006, o índice era de ____________ % Entre as mulheres, o excesso de peso atinge ____________ %. Já entre os homens, o percentual é de ____________ % Infelizmente esses dados são alarmantes e preocupantes principalmente porque desencadeiam fatores de risco como doenças crônicas e degenerativas cada vez mais cedo e a consequente diminuição de qualidade de vida.

Atualmente apesar de ter aumentado a expectativa de vida do brasileiro em contrapartida diminuiu a qualidade da mesma.

Essa triste realidade certamente seria amenizada com a prática regular de atividades físicas.

Como elucida o Dicionário de Educação Física e Esporte( Valdir Barbanti- 2 edição- Editora Manole)- “ O termo refere-se à totalidade de movimentos executados no contexto do esporte, da aptidão física, da recreação, da brincadeira, do jogo e do exercício. Num sentido mais restrito é todo movimento corporal, produzido por músculos esqueléticos, que provoca um gasto de energia.

Portanto, se não pretende fazer parte desse rol assustador, pratique atividade física de forma constante e consciente, e, sem esquecer da boa alimentação sempre. Isso tudo não seria apenas um projeto para o próximo verão e sim qualidade para a vida inteira!

 

REPOSTAS:

“A referida pesquisa intitulada Vigitel 2012 (“ Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito telefônico), demonstra que 51% da população (acima de 18 anos) entre homens e mulheres estão acima do peso adequado. Em 2006, o índice era de 43%. Entre as mulheres, o excesso de peso atinge 48%. Já entre os homens, o percentual é de 54%.”

 

 

 

 

 

 

 

Dr. Ruggero Bernardo Guidugli

www.atividadefisica.net/ruggero-news

 

 

 

 

 

 

 

Balanço energético e saúde

 

O excesso de peso tem sido uma das características da sociedade moderna, marcadamente nos países de maior desenvolvimento econômico e tecnológico.

Isto se deve à maior oferta de alimentos já prontos para o consumo, fruto da industrialização e da propaganda. Dá-se preferência às refeições rápidas baseadas em alimentos de alto valor calórico, excesso de teor lipídico e pouco valor nutricional.

Além do mais, nesses países o trabalho muscular vem sendo substituído por várias formas de energia e máquinas que conduzem à diminuição crescente do gasto energético.

Simplificando, poderíamos dizer que o ganho de peso resulta do aumento do consumo energético associado à diminuição de gasto, gerando assim um balanço energético positivo.

Portanto, uma vida sedentária com erro alimentar em quantidade e qualidade resulta em excesso de peso e obesidade.

A Organização Mundial de Saúde considera atualmente a obesidade uma doença e, associada ao sedentarismo, pode ser considerada responsável pela maioria das doenças crônicas não transmissíveis e até pelas doenças neoplásicas.

São várias as condições clínicas associadas ao sedentarismo e obesidade, entre elas:

- doença ateroesclerótica coronariana;

- hipertensão arterial sistêmica;

- acidente vascular cerebral;

- doença vascular periférica;

- diabetes mellitus;

- neoplasias do colo, mama;

- depressão e ansiedade.

    Portanto, a essência da prevenção e tratamento dessas doenças se fundamenta em uma dieta balanceada e saudável e na prática regular de exercícios físicos.

Diariamente têm surgido recomendações de dietas não balanceadas sem nenhuma comprovação científica e sem prática de exercícios para reduzir a obesidade. São apenas ilusões que podem levar até a doenças malignas e ao próprio óbito. Não ocorre redução de peso enquanto o balanço energético do organismo continuar positivo.

Para reduzir o peso são essenciais uma consciência do problema e algumas providências. Consumir mais frutas, verduras e cereais e menos alimentos de grande valor calórico como açúcar, carne, leite, ovos e doces. Estimular todas as práticas de atividade física, desde trabalhos domésticos, subir e descer escadas, diminuição do uso do automóvel. A corrida de rua é uma boa opção entre os esportes.

A saúde, que é definida como um estado de bem-estar físico, mental e social, se beneficia muito com a prática de atividade física e com a ausência de obesidade. Ambas aumentam a autoestima, diminuem a agressividade, melhoram o organismo, evitam as principais doenças e proporcionam melhor convívio social.

 

 

MÉTODO NATURAL PARA EVITAR DIABETES

 

Nesta última década, as evidências médicas concluíram que o tratamento da diabetes não deve ser fundamentado apenas no controle da glicemia através da alimentação. Além disso, deve haver a prática regular de exercícios físicos, sem os quais não poderá haver controle de açúcar do sangue.

Obesidade, sedentarismo, alimentos não adequados e dose exagerada desses devem ser substituídos pelo controle do peso, com atividade física regular e alimentos  ricos em fibras, pobres em gorduras animais e hidratos de carbono ( carboidratos: bolos, pães, massas...).

Em verdade, o mecanismo da doença, não se resume apenas no boqueio da entrada de glicose na célula por pouca insulina, mas por mecanismos mais complexos, que mantém elevados índices de glicemia que são prejudiciais ao organismo.

A glicose é a melhor substância para produzir energia , transformando rapidamente através do ciclo de Krebs em gás carbônico e água.

O metabolismo de outras substâncias como proteínas e gorduras, produz muitos acídos que trazem prejuízo a todo o organismo.

Toda a energia que ingerimos através dos alimentos deve ser gasta pelo organismo, senão se acumulará nas células gordurosas e induzirá aos diabetes.

Não há melhor maneira de gastar esta energia do que através dá prática regular de atividade física.