MOBILIDADE URBANA

Casé Oliveira – Conselheiro Regional de Meio Ambiente da Subprefeitura Ipiranga

A pirâmide da mobilidade urbana, definida pela Lei 10257 de 10 de julho de 2001, estabelece como prioridade o pedestre.

Em seguida vem a bicicleta ou veículo movido a propulsão humana.

Depois transporte coletivo de massa e por último veículos automotores e motocicletas.

Esta lei determina que municípios com mais de 20 mil habitantes devem implantar esta política obrigatoriamente para receberem recursos federais.

Sabemos que as condições de mobilidade urbana no município de São Paulo estão aquém das reais necessidades.

A oferta de meios para locomoção das pessoas é comprometida com obstáculos, falta de transporte coletivo de qualidade, o número de mortos e feridos no trânsito é crescente e nossas calçadas não têm acessibilidade.

É simples e já delineado: é só cumprir a lei.