MATÉRIAS DE MARÇO DE 2013 - NÚMERO 165

Atividade Física/JORNAL NORTEADOR

  

ÍNDICE DAS MATÉRIAS DO JORNAL NORTEADOR / ATIVIDADEFÍSICA DE MARÇO DE 2013, NÚMERO 165

1) CORPORE

2) Utilização e cálculo do IMC

3) FPA próxima de fechar convênio para utilização de centros de saúde no Ibirapuera

4) Gordura intra-abdominal após lipoaspiração

5) Praticar atividade física

6) Nutrição: dicas simples

7) Dicas para tirar boas fotos nas corridas: uso do flash

8) Corrida não tem idade

9) Desafio do Pateta nos 20 anos da Disney

10) Senescência

11) Corrida Infantil da Aclimação: 32 anos

 

1)CORPORE

David Cytrinowicz – Presidente da Corpore

Dr. David Citrynowica - Presidente da Corpore

Dr. Amadeu Armentano – Presidente do Conselho Deliberativo da Corpore

 

Prezado(a) corredor(a),

Esta matéria foi originalmente escrita por Jucélia Maurício Silva. Por acreditar não precisar adendar ou subtrair qualquer coisa, estou repassando para vocês.

Na última sexta-feira, 22 de fevereiro, ocorreu a premiação do Ranking Corpore 2012, visando prestigiar os atletas que se destacaram durante todo o ano. O evento foi realizado no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo, local elegantemente apropriado.

A cerimônia teve início às 19h30 com execução do Hino Nacional Brasileiro. As palavras de abertura foram do Presidente da Corpore Brasil, David Cytrynowicz .

Noite de festa e o ambiente tornou-se saudável torcida pelos que recebiam troféus e cumprimentos.

Juliana Pedrinha, 74 anos, foi vencedora em sua categoria e comentou sobre o evento: “É um orgulho receber esse prêmio. É muito importante e um incentivo para as pessoas treinarem sempre”. 

Outro exemplo de determinação é Antônio da Costa, 47 anos, que já participou de 150 corridas Corpore e se diz apaixonado por elas: “Corro todos os domingos e o que mais gosto de fazer, é correr! Não tenho um percurso preferido, gosto de todos e o que difere as corridas da Corpore das demais é a pontualidade”.

O evento do Ranking retrata fielmente o comprometimento dos atletas com o esporte.

As histórias de superação e os depoimentos repletos de emoção, vão contribuindo para descrever a essência da Corpore.

As equipes que participam corrida a corrida também são fonte de incentivo para os atletas, que se motivam e se ajudam mutuamente para concluir as provas.

A equipe Sai da Frente, 1º lugar na categoria “equipes – quantidade de atletas” esteve na Câmara com grande torcida. A Sai da Frente nasceu em 2007 sendo formada por 70 atletas que realizam também trabalho social na própria equipe, colaborando com 10 corredores menos favorecidos.

“A premiação do Ranking é um evento muito importante, pois, é motivação para nossos atletas. Para eles é contribuição para continuarem correndo e ao final serem recompensados, além de estímulo para que os atletas carentes possam se envolver mais e mais com o esporte. Uma palavra que defina o grupo? - União”, afirma a representante do grupo, Edna Justo, atleta e corredora da equipe.

Outra equipe campeã é a Metrus/Metrô - SP formada por 154 corredores metroviários e dependentes, ganhadora do 1º lugar na Categoria “equipes – número de pontos”. 

“Preferimos as corridas da Corpore devido à premiação do Ranking. Para o corredor é importante ter um evento como este na Câmara de São Paulo com todas as autoridades. O Ranking é um incentivo para os que correm e para os que ainda não começaram”, disseram o Presidente da EAMSP Metrus/Metro - SP, Luiz Carlos Yamada, e Carlos Franco, Diretor de Esportes da Equipe.

Dentre as autoridades presentes, o General-de-Exército Adhemar da Costa Machado Filho afirmou: “Vim prestigiar o evento porque acho que tem valores embutidos muito importantes para a sociedade. O atleta é antes de tudo um homem de superação, do esforço e da disciplina. Valores que valem para a vida”.

Para os atletas que não estiveram presentes na premiação, poderão retirar seus troféus na sede da Corpore durante horário de funcionamento, das 09h às 18h.

A Corpore Brasil agradece às autoridades participantes: Dr. David Cytrynowicz, Presidente da Corpore Brasil; Excelentíssimo General-de-Exército Adhemar da Costa Machado Filho, Comandante Militar do Sudeste; Dr. Octávio José Aronis, Vice-Presidente da Corpore Brasil; Coronel  Paulo Bolivar da Silva Neto, Assistente do Comandante Militar do Sudeste; Coronel Rubens Alberto Rodrigues Januário, Oficial do Estado Maior do Comando Militar do Sudeste; Inspetor Moacir Urban Sorrentino, Comandante Regional da Inspetoria da Câmara Municipal da Cidade de São Paulo; Engenheira Francisca Ramos de Queiroz, Ouvidora Adjunta da Câmara Municipal de São Paulo; Professor Michel Chelala, Presidente do Instituto Biográfico do Brasil e Diretor Secretário Geral da ABACH; Sr. Marcel Jofre, Assessor Parlamentar do Vereador Aurélio Miguel; Sr. Gerard Betels, Assessor Parlamentar do Vereador Aurélio Nomura; Sr. Manoel Marcos de Jesus, Assessor do Vereador Laércio Benko; Sr. Luiz Cláudio Saldanha, Chefe de Vendas da Bayer MaterialScience; Sr. Francisco de Assis Nogueira da Silva, Analista de Crédito da FAME; Dr. Amadeu Armentano Neto, Presidente do Conselho Deliberativo da Corpore Brasil.

Abraços,

Armentano

 

 

2) Utilização e cálculo do IMC

Prof. Roberto Losada Pratti – Diretor do jornal Atividade Física

Ariane Losada Pratti – Editora do jornal Atividade Física

 

Recente pesquisa realizada com paulistanos concluiu que 66 % deles estavam acima do peso.

Estudos científicos mostram que a obesidade pode levar à morbidade, portanto, mais da metade estão vulneráveis.

Esta pesquisa foi feita medindo a altura e pesando cada pessoa, portanto os dados não se restringiam a perguntas que poderiam registrar medidas incorretas.

Esses dados foram utilizados na fórmula para calcular o índice de massa corporal (IMC), que é um número obtido pela divisão do peso (em kg) pela altura (em metros) vezes ela mesma.

O cálculo é simples, pegue uma máquina de calcular e acompanhe. Por exemplo, se a altura for 1,82 m, eleva-se ao quadrado, ou seja, 1,82 x 1,82 = 3,3124. Se pesar 80 kg, o IMC será 80 dividido por 3,3124 = 24,15 e estará normal, pois o IMC entre 18,5 e 25 é considerado normal.

O IMC entre 25 e 30 é considerado sobrepeso e já merece atenção. Acima de 30 já causa preocupação.

Chama a atenção que o cálculo abaixo de 18,5 é considerado desnutrição. Se registrarmos peso e altura de vários corredores profissionais com alta performance, por exemplo, maratona abaixo de 2h10min, ou 10 km abaixo de 30 minutos, vários terão IMC próximo de 18,5.

Esse superatleta, segundo o cálculo do IMC, seria considerado desnutrido.

Sem entrar no mérito do IMC nem de outros métodos, essa porcentagem encontrada não está fora da realidade.

Se você olhar do seu lado, nas ruas, em qualquer lugar, mesmo sem definir sobrepeso e obesidade, é fácil constatar que a obesidade e o sedentarismo estão presentes.

Experimente coletar dados. Em um papel, anote o número de pessoas que você vê e as que você considera que estão acima do peso. Faça uma simples continha dividindo o número de pessoas que você acha que estão acima do peso pelo total e multiplique por 100: você encontrou a porcentagem. Compare com os 66%.

Quanto ao sedentarismo, observe se há locais para estacionar na rua. Confira na imprensa os km de congestionamento.  Detcte se é possível ir aos lugares andando ou de bicicleta. Observe se há parques, praças, centros esportivos, e outros locais que possibilitam praticar atividade física.

A situação não é boa. Devem ser tomadas medidas urgentes para incentivar a vida ativa e hábitos saudáveis para combater a obesidade e o sedentarismo.

 

 

3) FPA próxima de fechar convênio para utilização de centros de saúde no Ibirapuera

 

A medida favorecerá corredores de rua cadastrados na entidade, possibilitando acesso a médico, dentista e fisioterapeuta

Mauro Roberto Chekin – Presidente da FPA e Gestor Esportivo

 

A Federação Paulista de Atletismo encara a prática esportiva como verdadeiro passaporte para a real cidadania do povo paulista e brasileiro.  Dentro de tal filosofia, a administração da entidade, além de incentivar a descoberta e o fortalecimento de valores que possam levar o Brasil aos lugares mais altos de pódios internacionais, pretende massificar o atletismo enquanto ferramenta de inclusão social.

Uma das formas para tanto está no desenvolvimento de ações para o fortalecimento das corridas de rua que, ano após ano, agregam participantes em competições específicas ou em parques.

Vamos popularizar e incentivar a prática da prova do atletismo que se tornou sinônimo de popularidade.

Em artigo recente, informamos o objetivo de criar circuito específico, baseado na mais absoluta segurança dos corredores pela adoção de conceitos mundialmente estabelecidos.

Dissemos, também, que fidelizar atletas amadores é meta fundamental.

Pois bem. Cumpre-nos comunicar que negociações com o Ibirapuera, no sentido de, através de parceria, disponibilizarmos centro de atendimento médico, odontológico e fisioterápico para todos os corredores cadastrados na FPA, estão em estágio avançado.

Assim agindo, pretendemos aumentar consideravelmente nosso cadastro, chegando a 50 mil federados em 2013 e, se tudo sair a contento, dobrar tal número em 2014.

Vale ressaltar que, segundo pesquisa da FPA, o Estado de São Paulo tem mais de 400 competições do gênero por ano, contando com cerca de 150 mil fieis seguidores.

Já temos fortes indícios de que essas dimensões irão aumentar sensivelmente ao findar o ano em curso.

No próximo artigo, estaremos em condições mais seguras de abordar outro tema importante para o atletismo bandeirante, que é o da Athletics Federation SP, marca própria da nossa entidade. Até lá...

Saudações esportivas,

Mauro Roberto Chekin

Presidente da FPA e Gestor Esportivo

 

 

4) Gordura intra-abdominal após lipoaspiração

Dr. Ruggero Bernardo Guidugli - http://www.atividadefisica.net/ruggero-news/

 

As pessoas sedentárias com alimentação inadequada, além de inúmeros problemas, tendem a acumular gordura no abdome.

   Pesquisa realizada na USP em um grupo de 38 mulheres sedentárias que se submeteram a lipoaspiração concluiu que aquelas que praticaram exercícios físicos pós-operação não voltaram a armazenar gordura intra-abdominal, enquanto as demais sedentárias continuaram acumulando gordura visceral.

   A pesquisa demonstra claramente que a atividade física evita a obesidade que pode associar a chamada síndrome metabólica, que está associada ao diabetes e à hipertensão.

Outros estudos também chegaram a essa conclusão

   Acreditamos mais do que isso. Se as pessoas portadoras de gordura abdominal tomassem consciência da nocividade deste problema e iniciassem imediatamente a prática regular de atividade física, aliada à alimentação saudável, evoluiriam com melhora natural de sua estética, sem risco, evitando, assim, procedimentos invasivos.

 

5) Praticar atividade física

Prof. Valdir Camargo – www.valdircamargo.com.br

 

Muitos são os motivos que as pessoas procuram por um profissional para a prática esportiva: emagrecer; melhorar a circulação sanguínea; aumentar o metabolismo; fortalecer o sistema imune; diminuir os riscos de doenças cardíacas; aumentar a resistência dos ossos, prevenindo a osteoporose; melhorar a coordenação dos movimentos e do equilíbrio; aumentar a boa disposição e o bom humor; diminuir o estresse, risco de ansiedade e depressão; promover interação social; melhorar a imagem corporal e a autoestima e melhorar a capacidade de aprendizagem.

A atividade física é uma aliada imprescindível para alcançar uma boa forma física e um bem-estar. Sua prática deve ser desenvolvida de uma forma prazerosa e contínua ao longo da vi-da.

Pratique essa ideia!

 

6) Nutrição: dicas simples

 

Lenycia Neri – www.nutri4life.com.br

 

Atitudes simples podem melhorar hábitos alimentares:

- Procure consumir pelo menos 3 grandes refeições (café da manhã, almoço e jantar) e duas pequenas refeições entre estas;

- Não se esqueça de comprar os alimentos saudáveis: abastecendo a casa e trabalho com os alimentos planejados para lanchinhos, dificilmente você escapará de fazer tudo certinho.

- Mastigue bem os alimentos e procure comer em um ambiente calmo. A qualidade de vida também está vinculada ao valor que damos aos nossos hábitos mais corriqueiros. Mesmo que você só tenha 15 minutos para comer, faça isso de maneira pausada e sinta o sabor maravilhoso dos alimentos.

- Sempre que for ao supermercado, faça uma refeição prévia, nunca vá com fome fazer compras. O risco de comprar besteiras e a compra ficar muito cara e sem conteúdo nutricional adequado é muito grande.

Caso tenha dificuldade de elaborar um planejamento alimentar adequado à sua rotina de trabalho e treinos, procure auxílio de um nutricionista, este é o profissional adequado para esta ajuda.

 

 

7) Dicas para tirar boas fotos nas corridas: uso do flash

Minoru Fujita – www.cameraurbana.com.br

 

Muita gente gosta de tirar fotos durante as corridas por ser um momento de alegria e lá estarem reunidos vários amigos.

A questão é que as corridas acontecem de manhã no horário em que o sol está nascendo, o que dá maior contraste à foto, deixando a sombra muito “dura”.

Se você tirar fotos contra o sol, só aparece a silhueta. Se esse não for o objetivo, uma dica bem simples é utilizar o flash.

Essa técnica é chamada de luz de preenchimento.

A utilização do flash em ambiente externo pode parecer estranho, mas o resultado é surpreendente. Serve para ajustar as fotos tiradas na sombra, e como é uma luz que achata, suaviza a aparência das rugas.

Serve também para congelar o movimento, recurso útil, pois os atletas estão sempre em movimento.

Experimente! Se você utiliza uma máquina compacta, mude a opção do flash para obrigatório.

Se você for tirar muitas fotos, fique atento ao consumo da bateria, pois elas irão descarregar rapidamente.

Boa corrida e boas fotos!

 

8) Corrida não tem idade

Prof. Carlos Gomes Ventura

 

A corrida lenta e de longa duração é benéfica para todas as pessoas.

É claro que todos que vão correr longo e lento devem iniciar o trabalho com um check-up médico e a devida autorização do seu médico.

O diagnóstico médico é essencial, pois o personal terá os parâmetros para o treino a ser feito.

A corrida em equilíbrio de oxigênio (steady state) é uma das formas mais agradáveis para se fazer longas distâncias seguramente.

Fazer um alongamento não muito prolongado, iniciar a corrida suavemente, usar tênis confortáveis e correr em grupos permite ao praticante um melhor desempenho e proveito na corrida.

Quando digo que corrida não tem idade é para afirmar que pessoas de qualquer faixa etária, sabendo conter a ansiedade e não fazendo exageros para mostrar sua forma física, podem ter um rendimento muito bom.

Portanto, a idade não é fator limitante para o exercício físico.

Vá para um dos muitos parques que São Paulo possui, caminhe, marche, trote, corra sem receios e aproveite melhor sua vida.

 

9) Desafio do Pateta nos 20 anos da Disney

 

Prof. Luis Tavares

 

Desde 2007 levamos grupos de corredores para as várias corridas da Disney, que têm como opções a Family Run (5 km), a Meia-maratona (sábado) e a Maratona (domingo), havendo ainda a opção para os que fizerem de forma consecutiva a Meia e a Maratona ganharem a medalha do Pateta (Goofy`s). 

Particularmente, como educador físico sempre tive algumas ressalvas sobre meus alunos correrem o Desafio do Pateta, afinal, sob o ponto de vista técnico, a recuperação muscular de um dia para outro não é a ideal. Seriam 68 km acumulados em 3 dias, sendo a maior distância de 42 km no último dia, ou seja, com a falta de recuperação muscular a chance de lesão passa a ser maior.  

Entendo que cada atleta, cada evento e cada prova seja um universo à parte e assim deva ser encarado. Não podia ser taxativo, pois todos sabem que atletas corredores são naturalmente transgressores e correriam a prova do mesmo jeito, até porque me chamava a atenção o fato de que a cada ano aumentava a procura pelo Desafio.

Assim, decidida a opção pelo Desafio do Pateta, caberia a mim traçar um plano de treinamento para cada um dos meus alunos para minimizar as perdas e maximizar a eficiência em busca do sucesso nessas provas acumuladas.

Na edição de 2012, a Maratona da Disney completaria 20 anos e a medalha seria especial, então resolvi ir mais além e encarar eu mesmo o Desafio do Pateta para sentir e transmitir a todos os demais a sensação de ser um atleta Pateta na Disney.

Basicamente, meu plano de treinamento foi o mesmo dos meus alunos e a preparação foi árdua para todos nós ao longo dos meses antecedentes à nossa viagem. Tenho algumas limitações por conta dos meus tendões, por isso resolvi treinar com o intuito de concluir bem a prova, sem a neura de grandes performances. Tudo correu bem nos treinos. Todos estavam confiantes, embora o frio na barriga seja inevitável, até para os mais experientes como eu que iria para a 25ª maratona da vida.

Na sexta corri os festivos 5 km da Family Run, que dava uma volta no EPCOT Center e me chamou atenção foi a quantidade de mães caminhando com seus filhos em carrinhos de bebê.

Já no sábado, na Meia-maratona, saímos às 3h30, pois a largada seria às 5h30 e a temperatura agradável de 17 graus possibilitou corrermos de shorts e regata normalmente. Havia postos de hidratação (àgua e Powerrade) a cada milha, e bandas musicais a cada 5 milhas, sem contar com os personagens da Disney nas ruas te aplaudindo. Terminei a prova bem e com o tempo dentro do programado e me poupando ao máximo para a prova principal no domingo, a Maratona. Agora o bicho iria pegar.

No domingo, o grande dia, saímos do hotel 3h:30 rumo à largada.

Embora experiente em maratonas, confesso que estava um pouco apreensivo, afinal seria a primeira vez que faria uma maratona depois de ter feito uma meia na véspera. Geralmente eu recomendo repouso antes de distâncias duras como essas, porém, o programa de treino previa tudo isso, daí vinha minha confiança.

Assim que foi dada a largada, passei a ter uma outra visão que não tive nos anos anteriores, curti a prova a cada momento, pois como estava em ritmo para terminar bem sem a preocupação com performance, passei a “saborear” a prova e seu percurso, meus alunos, os personagens, as bandas tocando, o corpo de voluntários que em sua maioria eram idosos e crianças, enfim, a prova passou ser mais cativante e não tive pressa nenhuma em terminar.

Acabei fechando em 6h04 e, apesar de fechar com esse tempo, foi muito emocionante. Tinha consciência das minhas limitações e creio que o final foi positivo. A arquibancada permanecia lotada e cheia de pessoas aplaudindo, fazendo todos se sentirem como se estivessem chegando entre os primeiros colocados.  Foi uma experiência incrível.

Realmente a Disney é uma prova sem igual no mundo e por isso o corredor não pode deixar de ir. Seja movido pelos desafios ou pela festa, vale muito a pena conhecê-la.  Além do mais, viajar para a Disney alia a satisfação de correr, passear, fazer compras, brincar e, acima de tudo, cultivar novos amigos.

Espero vê-los no ano que vem na Disney!

A Equipe Tavares está com viagens marcadas, www.ectavares.com.br

 

 

10) Senescência

Dr. Ruggero Bernardo Guidugli - http://www.atividadefisica.net/ruggero-news/

 

O século XX se caracterizou pela aceleração da expectativa de vida em quase todos os países do planeta.

          Neste século, teremos de enfrentar o desafio de cuidar deste grande número de idosos, oferecendo-lhes boa qualidade de vida.

          O envelhecimento (senescência) pode ser entendido como um processo natural em que ocorre uma disfunção progressiva de todos os órgãos e isso facilita a instalação de doenças, particularmente crônico-degenerativas.

          Isto pode acarretar em um quadro clínico de multimorbidades que quase sempre vem acompanhado de problemas depressivos, dificultando ainda mais a reversão deste quadro.

          Recente pesquisa da Universidade de Atlanta, na Georgia (EUA), revelou que idosos portadores de várias doenças crônico-degenerativas acompanhadas de depressão podiam ter significativa melhora tanto na depressão como das doenças pela simples prática de exercícios físicos diários.

          Os exercícios restabeleceriam um estímulo para reação contra a depressão e consequentemente contra as doenças, visto esta associação ter a mesma causa: sedentarismo e acomodação com as facilidades da vida moderna.

          Os resultados animadores deste trabalho podem nortear instituições que cuidam da terceira idade para adotar a prática diária de exercícios físicos e a vida ativa, o que seria essencial para evitar a doença física e também a mental dos idosos.

 

11) Corrida Infantil da Aclimação: 32 anos

Rosa Domingues Stancati

 

A Corrida Infantil do Parque da Aclimação, São Paulo, SP, completa sua 32ª edição e, provavelmente, é a corrida infantil mais antiga do Brasil.

Contando com o idealizador e mesmo organizador, Francisco de Assis, mantém o mesmo ideal de incentivar a prática da atividade física na criança.

Correr é uma atividade natural da criança, e faz parte de seu aprendizado e de sua formação visando um adulto saudável.

A obesidade infantil é um problema atual, que se agrava a cada dia, principalmente nas grandes cidades, onde a falta de espaço e a violência confinam as crianças.

Por isso, eventos como corridas infantis são importantes nos dias de hoje.

A Corrida Infantil é grátis para propiciar a participação de todas as crianças, no Parque da Aclimação, em volta do lago rodeado  de árvores.