Enumeração das precauções da corrida e caminhada como meio de transporte

Pesquisas científicas autorizam dizer que caminhar e correr são atividades físicas que previnem doenças temidas, como hipertensão, cardiopatias, doenças degenerativas e até neoplasias, e que a caminhada e a corrida proporcionam saúde e qualidade de vida.

A quantidade de corredores no país autoriza dizer que a corrida é esporte nacional e paixão nacional. São vistos até nos centros urbanos treinando na rua e indo para compromissos caminhando ou correndo longas distâncias em menos tempo do que se fossem de transporte, ou seja, a corrida e a caminhada são meios de transporte. 

Um número de cuidados deve existir, pois a realidade das cidades autoriza dizer que a precaução dos caminhantes e corredores é questão de sobrevivência.

1 – Correr no trânsito.

As corridas de rua com milhares de participantes acontecem na rua, o que pode induzir que correr na rua é só colocar um tênis e sair correndo como se fosse em uma corrida, em uma pista ou em uma esteira.

Corrida de rua tem trânsito fechado, totalmente diferente do dia a dia com veículos ferozes rugindo e avançando sobre os pedestres indefesos.

Observar outros corredores treinando na rua também pode induzir a fazer o mesmo que eles por achar que é fácil, mas não é. Pode ser que aquele corredor tenha aprendido a fazer isso, mas mesmo assim há riscos, e o número de acidentes com veículos e pedestres mostra o perigo.

2 – Falta de mobilidade urbana induz a procurar alternativa de locomoção.

Trânsito lento e transporte público precário induzem o corredor a usar a corrida como meio de transporte, pois chega antes, dependendo do local. Mesmo em distâncias grandes, maratonistas chegam antes do que se fossem de transporte público e até de automóvel. Alguns atletas são vistos com mochila nas costas cruzando a cidade para ir trabalhar ou estudar diariamente. Mas quem não treina não deve fazer isso.

Evite correr no meio da rua, principalmente com trânsito no mesmo sentido. Nunca saia da calçada para a rua sem olhar para todos os lados, mesmo que seja contramão.  Na calçada, corra em velocidade compatível para evitar cair por causa de desníveis do solo ou colidir com pessoas.

3 – Percurso desconhecido.

Mesmo quem tem o costume de se deslocar andando ou correndo para os compromissos diários, quando for a um local aonde nunca foi, deve antes estudar o percurso, pois pode haver problema.

4 – Planejamento.

Se for arriscar correr ou caminhar no trânsito, planeje minuciosamente. Cuidado com alimentação e hidratação. Leve documento e dinheiro para eventualidades. Use roupa e calçado adequados.

5 – Correr adequadamente permite correr distâncias cada vez maiores.

Quanto maior a quilometragem de um automóvel, maior o desgaste das peças e problemas surgem.

Correr constante e adequadamente aumenta o número de artérias e o diâmetro delas aumenta, o coração fortalece, o organismo todo fortalece. A capacidade aeróbica, que é a capacidade de produzir energia também aumenta gradativamente com os treinos e é possível correr distâncias maiores. Assim, ao contrário do que ocorre com um automóvel, quanto mais quilometragem o corredor percorre, melhor o seu corpo fica e é capaz de correr distâncias maiores com melhor performance.

É por isso que correr se torna paixão nacional. Também é por isso que alguns corredores treinados preferem ir a pé e, tomando as devidas precauções, chegam em menos tempo do que se fossem de transporte, e sem o estresse do trânsito caótico das metrópoles.