agosto 2013

MATÉRIAS DE AGOSTO DE 2013 - NÚMERO 169
Atividade Física - O jornal da vida saudável

 

1 - CORPORE

Dr. David Cytrynowicz -Presidente da CORPORE

Dr. Amadeu Armentano - Presidente do Conselho Deliberativo da CORPORE

Prezado (a) Corredor(a),

Lembrar é preciso, reverenciar é preciso, tomar bons exemplos por rotas a seguir é preciso, ter memória é fundamental e nós, da Corpore, temos procurado, principalmente em vida, homenagear e legar aos que nos sucederão, exemplos tanto de pessoas, quanto de instituições.

Para citar alguns, Adhemar Ferreira da Silva, Eder Jofre, Aurélio Miguel, Joaquim Cruz, Zequinha Barbosa, Ronaldo da Costa, José João da Silva, Lars Grael, Eliana Reinert, Edson Bergara, Elói Schleder, João da Mata, Professor Oswaldo Waldemar Pizani, José Antônio Martins Fernandes, Ayrton Ferreira, Maria Zeferina Baldáia, Maria das Graças Moreira, Fabiana Murer, Grete Waiz, Pietro Menea, Paul Tergat, Allan Steinfeld, além de Instituições como OAB, Ordem dos Advogados do Brasil- CAASP-, Forças Armadas, Marinha, Exército, Aeronáutica, Sociedade Shalon, Creche Angelina Vieira, Graac, Cruz Verde, Sindicato dos Bancários, AIMS-Association of International Marathons and Road Races, Academia da Polícia Militar do Barro Branco, Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, Clube Atlético Juventus e Jornal Atividade Física. E sem pretensão de esgotar o rol, procurando demonstrar que agimos, portanto podendo solicitar a todos quantos possam, que não regateiem homenagens, reconhecimento, aplausos e destaque para quem já tanto fez, faz e continuará fazendo pelo esporte, dentro e fora de nossas fronteiras.

Abraços,

Armentano

 

2 - Incentive os pequenos grandes atletas

Roberto Losada Pratti – Diretor do jornal Atividade Física - Ariane Pratti - Editora

 

Estamos lançando a campanha “pequenos grandes atletas”, que pode até ser corroborada pelas legislações abaixo e teorias pedagógicas.

Está escrito no artigo 205 da Constituição Federal: “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade”.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação, Lei 9394/96, diz no artigo 26 que a educação física é componente obrigatório no currículo da educação básica.

Se a educação for definida como a formação e o desenvolvimento físico, intelectual e moral de um ser humano, podemos inferir, sob a luz da lei, que a atividade é importante para a educação da criança.

Os simples atos de brincar, pular no sofá, correr enquanto passeiam com adultos, etc., ajudam no sistema motor e aprendizado.

A educação física nas escolas, obrigatória pela Lei 9394, inclui a atividade física para a formação do cidadão.

Embora a Constituição diga que é dever da família educar, a família faz de tudo pelas crianças automaticamente.

Por isso estamos divulgando as fotos de crianças no nosso site www.atividadefisica.net em “pequenos grandes atletas”, incentivando assim a prática da atividade física pelas crianças.

Abaixo estamos publicando algumas fotos de crianças praticando atividade física enviadas pelos leitores, que foram publicadas no site.

Se você quiser publicar a foto do seu pequeno grande atleta no site, envie a foto para o e-mail: jornal@atividadefisica.net

 

 

 

3 - a polêmica sobre a entrade de médicos estrangeiros no país e políticas públicas de saúde

 

Dr. Ruggero Bernardo Guidugli – Artigos extra constantemente atualizados em http://www.atividadefisica.net/ruggero-news/

.

Os médicos estrangeiros sempre foram bem-vindos no Brasil e sempre desenvolveram um trabalho benéfico para a população.

O exemplo típico é o Professor Alfonso Bovero que atuou na Faculdade de Medicina da USP e formou várias gerações de médicos respeitados em vários países. Um seu discípulo, o Professor Liberato Afonso Di Dio, lecionou nos Estados Unidos e lá foi considerado o maior anatomista do mundo.

O que se polemiza atualmente na vinda dos estrangeiros seria apenas a permissão do livre exercício profissional sem uma prova de revalidação do diploma ou mesmo um exame de capacitação a que se submetem os profissionais no Brasil.

De fato, sem conhecimentos e sem uma infraestrutura mínima (como ocorre em locais longínquos) poderá haver riscos para a saúde da população.

O que ocorre, em verdade, é um grande equívoco sobre a saúde no Brasil.

Mandar profissionais de saúde para locais distantes é uma boa intenção, mas se houvesse infraestrutura, com hospitais e postos de saúde equipados.

Além do mais, políticas públicas de prevenção de doenças deveriam ser mais priorizadas do que liberação de verbas para procedimentos sofisticados de saúde complementar.

A grande maioria das pessoas que procuram os serviços médicos nos dias atuais é portadora de doenças crônicas não transmissíveis.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os fatores de risco mais importantes relacionados às doenças crônicas não transmissíveis são hipertensão arterial, hipercolesterolemia, ingestão insuficiente de frutos, hortaliças e leguminosas, sobrepeso ou obesidade, inatividade física e tabagismo. Poderíamos acrescentar a estes fatores o estresse.

Como exemplos de doenças crônicas não transmissíveis podemos citar a arteriosclerose, artrose, cardiopatias, neoplasias, diabetes, Mal de Alzheimer, etc.

Tais doenças poderiam ser prevenidas com orientações sobre a dieta, atividades físicas e combate ao tabagismo, álcool e drogas.

Portanto, políticas públicas com recursos destinados à prevenção melhorariam significativamente a saúde da população e reduziriam enormemente os gastos, evitando projetos ineficazes e dispendiosos, corrupção, aplicação de recursos nas mãos de grandes construtoras, indústria farmacêutica, empresas terceirizadas e atravessadores da saúde.

A maioria dos profissionais de saúde do Brasil – médicos, enfermeiros, assistentes sociais – são pessoas idôneas, competentes e que certamente trabalham pela saúde do paciente, e aceitam perfeitamente a vinda de colegas do exterior, contudo, que sejam submetidos às mesmas avaliações profissionais que fundamentam o exercício da medicina e da ética na saúde.

 

 

4 - trajando uniforme personalizado, seleção paulista vence o brasileiro caixa de menores

Mauro Roberto Chekin – Presidente da FPA e Gestor Esportivo

.

Delegação veste a marca Athletics Federations, que a FPA quer disseminar e popularizar.

 

Os médicos estrangeiros sempre foram bem-vindos no Brasil e sempre desenvolveram um trabalho benéfico para a população.

O exemplo típico é o Professor Alfonso Bovero que atuou na Faculdade de Medicina da USP e formou várias gerações de médicos respeitados em vários países. Um seu discípulo, o Professor Liberato Afonso Di Dio, lecionou nos Estados Unidos e lá foi considerado o maior anatomista do mundo.

O que se polemiza atualmente na vinda dos estrangeiros seria apenas a permissão do livre exercício profissional sem uma prova de revalidação do diploma ou mesmo um exame de capacitação a que se submetem os profissionais no Brasil.

De fato, sem conhecimentos e sem uma infraestrutura mínima (como ocorre em locais longínquos) poderá haver riscos para a saúde da população.

O que ocorre, em verdade, é um grande equívoco sobre a saúde no Brasil.

Mandar profissionais de saúde para locais distantes é uma boa intenção, mas se houvesse infraestrutura, com hospitais e postos de saúde equipados.

Além do mais, políticas públicas de prevenção de doenças deveriam ser mais priorizadas do que liberação de verbas para procedimentos sofisticados de saúde complementar.

A grande maioria das pessoas que procuram os serviços médicos nos dias atuais é portadora de doenças crônicas não transmissíveis.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os fatores de risco mais importantes relacionados às doenças crônicas não transmissíveis são hipertensão arterial, hipercolesterolemia, ingestão insuficiente de frutos, hortaliças e leguminosas, sobrepeso ou obesidade, inatividade física e tabagismo. Poderíamos acrescentar a estes fatores o estresse.

Como exemplos de doenças crônicas não transmissíveis podemos citar a arteriosclerose, artrose, cardiopatias, neoplasias, diabetes, Mal de Alzheimer, etc.

Tais doenças poderiam ser prevenidas com orientações sobre a dieta, atividades físicas e combate ao tabagismo, álcool e drogas.

Portanto, políticas públicas com recursos destinados à prevenção melhorariam significativamente a saúde da população e reduziriam enormemente os gastos, evitando projetos ineficazes e dispendiosos, corrupção, aplicação de recursos nas mãos de grandes construtoras, indústria farmacêutica, empresas terceirizadas e atravessadores da saúde.

A maioria dos profissionais de saúde do Brasil – médicos, enfermeiros, assistentes sociais – são pessoas idôneas, competentes e que certamente trabalham pela saúde do paciente, e aceitam perfeitamente a vinda de colegas do exterior, contudo, que sejam submetidos às mesmas avaliações profissionais que fundamentam o exercício da medicina e da ética na saúde.

 

5 - dicas para você começar a praticar corrida de rua

 

Valdir Camargo – Personal trainer www.valdircamargo.com.br

 

As corridas têm crescido muito nos últimos anos e muita gente quer iniciar uma atividade física, mas não sabe como.

É muito simples começar.

Se a pessoa é sedentária, é importante que comece com caminhadas e alguns exercícios localizados de fortalecimento. Isso o ajudará a ganhar condicionamento para corrida. Para os hipertensos e diabéticos, por exemplo, é importante que façam um acompanhamento médico regular.

Planejamento e metas são fundamentais. Reservar uma hora por dia, três vezes na semana, ir ao parque, uma praça próximo de sua casa e começar. No início, não se cobre muito, comece caminhando, trotando, não queira ser um atleta logo nos primeiros dias. Tenha paciência, pois condicionamento se adquire aos poucos.

Se a preguiça aparecer, lembre-se que ela dura só até a primeira semana, depois seu próprio corpo sentirá falta da corrida.

O importante é não desistir. Tenha uma meta inicial, comece com um trotar de 1 km, depois 3 km, depois 5 km e com o tempo já estará correndo 10 km.

Para começar a correr você vai precisar de um tênis próprio para corrida, meias, short, camiseta que absorva bem o suor, protetor solar e um relógio com cronômetro.

E não deixe de fazer um alongamento e aquecimento antes e depois do treino. Procure um parque onde tenha terra e grama, evitando o asfalto. Não deixe de se hidratar, portanto, tome água antes, durante e depois dos treinos.

 

6 - CENTRO HISTÓRICO

 

Minoru Fujita - http://cameraurbana.com.br

 

O texto abaixo é um retrato do Centro Histórico na ótica de Wilson Ribeiro Pessoa.

O Centro Velho nunca perdeu seu charme, está muito vivo e tão vibrante quanto outrora. Os turistas ficam encantados com a diversidade arquitetônica da região, e até os paulistanos que ficaram muito tempo distante (com receio da violência) se encantam ao passear pelas ruas e redescobrir as belas fachadas que outrora estavam escondidas em outdoors e placas publicitárias que se sobrepunham.

Mesmo com seu lado humano um pouco esquecido (ainda vagam na região moradores de ruas, pedintes e usuários de drogas), a revitalização deve ser incentivada.

Cabe ao poder público continuar investimento na limpeza e conservação dos prédios públicos, dar apoio e incentivo para as empresas que queiram se estabelecer na região, cobrar ações dos proprietários contra deterioração das fachadas e interiores dos prédios privados e avaliar as intervenções urbanísticas necessárias para garantir mais acessibilidade e despertar interesse da população.

O percurso da Corrida Centro Histórico é um verdadeiro city-tour e um ótimo passeio pela história da cidade: Vale do Anhangabaú, Líbero Badaró, Vista da Faculdade de Direto no Largo São Francisco, Viaduto do Chá, Teatro Municipal, Praça da República, Avenida Ipiranga, Avenida São João, Largo Santa Efigênia, Largo São Bento, Pátio do Colégio, Praça Da Sé, Fórum Joel Mendes, viaduto Maria Paula e Rua Xavier de Toledo.

Nenhum outro percurso possui construções tão belas e tão ricas de informações sobre a cidade e o seu crescimento. Dá para imaginar os tempos dourados do Centro: o esforço dos operários na construção dos edifícios, a movimentação frenética dos pedestres em direção ao trabalho, o tráfego intenso de automóveis antes da criação dos calçadões e os cenários das decisões tomadas em cada prédio para a construção de São Paulo e para o desenvolvimento do Brasil.

Eventos importantes como esse ajudam a revitalizar o Centro Histórico e trazer novos visitantes.

Essa não é uma corrida para fazer com pressa e ficar olhando o relógio para reduzir o tempo do percurso. Essa é uma corrida para apreciar a paisagem, viajar no tempo e revisitar nossa história, desde que os jesuítas ali se instalaram. Curta a prova mais charmosa de São Paulo e boa viagem aos anos dourados.

 

 

7 - o poder da mente positiva antes de uma competição

 

Prof. Luis Tavares

 

Nesses 19 anos de carreira como treinador observei e continuo observando muitos alunos que, por ansiedade, nervosismo ou insegurança, antes de uma prova importante, repetem frases como essas: “Eu não conseguirei abaixar meu tempo”; “Estou meio machucado, acho que não vou concluir”; “O tempo está esquisito hoje, acho que não vou bem”; etc.

Quantas vezes você disse não, antes de uma corrida, ou melhor, deu desculpas para não ir bem?

As palavras e termos como “não”, “jamais”, “nunca”, “não conseguirei” carregam uma negatividade que fazem com que você já entre derrotado nas competições, por isso não deveriam existir em seu vocabulário se você deseja ter êxito e sucesso nas corridas.

Quantas vezes você deve ter sentido uma dor de barriga, ou vontade de fazer xixi, ou uma dorzinha incômoda no pé ou na perna, tudo isso faltando cinco minutos para a largada?

Muitas vezes é o seu corpo somatizando aquilo que sua mente dita, sendo uma espécie de fuga ou medo de uma frustração na corrida e dessa forma você já prepara uma desculpa caso não atinja seu objetivo.

Será que não podemos alterar esse estado de pensamento a nosso favor e tendo como grande aliado a nossa própria mente?

Lógico que podemos, a nossa mente comanda tudo, inclusive o nosso físico.

Quando participei nesse ano do desafio do Pateta na Disney, carregava comigo um problema, pois ainda não havia corrido 21 km um dia antes dos 42 km de uma maratona. Fora o meu velho probleminha de Tendinite de Aquiles que me acompanha há 15 anos.

Durante todo o processo de preparação, jamais pensei em desistir do objetivo e sempre foquei no desafio. E não passava em nenhum momento na minha mente a ideia de desistir, não seria capaz, não aguentaria, etc.

Desde o desembarque na Disney até o término da maratona, meu foco era a conclusão desse feito, chegando a visualizar todas as noites a minha chegada. Assim, mesmo consciente de todas as dificuldades, fui com coração, alma e pensamento positivo para que tudo desse certo.

Outro segredo foi mentalizar, conversar com meu físico, interiorizar e sentir o que estava se passando.

Quando terminei a primeira parte do desafio (a meia-maratona), agradeci às minhas pernas por ter me ajudado a concluir essa primeira etapa e como recompensa pela parceria passei a tarde toda na piscina recuperando-as para a maratona que viria horas depois.

Assim, no dia seguinte na maratona, fui confiante em terminar. E realmente deu tudo certo, finalizando-a cansado, porém com muita satisfação e surpreendentemente mais inteiro e recuperado do que usualmente em outras corridas que eu não havia me preparado tão bem psicologicamente. No dia seguinte ao Desafio, até conseguia subir as escadas normalmente.

Aí vão cinco dicas para você conseguir alcançar seus objetivos nas corridas:

1 - Imagine

Seus poderes de imaginação podem mudar o modo como seu corpo reage. "Se você imagina uma situação, o seu cérebro é estimulado como se você estivesse realmente vivendo isso”. Por exemplo: Imagine você correndo alegre e no ritmo pretendido.

2 - Distraia-se
Pense em coisas boas e positivas para tirar um pouco o foco e o nervosismo. Exemplo: converse com amigos, vá fazer algo que goste, como ler, ouvir música, teatro, cinema, enfim, evite se preocupar com a corrida.

3 - Visualize seu treino
Antes de se deixar vencer pela preguiça, reserve alguns minutos para pensar no seu treino e listar todos os benefícios que ele pode te proporcionar. Assim, vai ser mais fácil sair do sofá.

4 - Seja autoconfiante
Tenha sempre uma postura confiante, pois isso estimula uma resposta hormonal. Pensando dessa forma, você se livra da sua insegurança.

5 - Finja não ter defeitos
Pensar positivo faz com que seus defeitos percam a força.

No momento que você acreditar no seu potencial, será mais fácil alcançar seus objetivos.

Um abraço a todos.

 

 

8 - casos de hiponatremia: excesso de líquido

 

Prof. Carlos Ventura

A hidratação é fundamental para corredores, por isso nas provas oficiais é obrigatório que haja postos de hidratação. Porém, o exagero de ingestão de água pode fazer com que o sódio seja diluído e atinja um nível de concentração baixo e perigoso ao organismo: hiponatremia.

Alguns casos graves de hiponatremia em que a hidratação não foi feita de forma correta fazem parte da história de corridas famosas, embora a ocorrência seja pequena.

Por exemplo, na Ultramaratona de Comrades, África do Sul, na distância de 90 km, uma corredora foi hospitalizada com sintomas de hiponatremia. Devidamente tratada, recuperou-se.

O primeiro caso de óbito registrado devido a excesso de líquido ingerido aconteceu em 1998, na importante Maratona de Chicago, que reputo como uma das melhores maratonas do mundo pela sua organização. Uma corredora chamada Kelly Barret parou na prova faltando apenas 2 km para a chegada. De imediato os paramédicos a socorreram, administraram fluidos via endovenosa, cerca de 120 ml. Barret entrou em óbito três dias depois, seu cérebro ficou danificado, foi uma tragédia que poderia ser evitada.

Em 2002, na Maratona de Boston, a corredora Cyntia Lucero, na altura dos 20 km, caiu e foi levada ao hospital, mas faleceu no trajeto por causa da ingestão excessiva de líquido.

Em 2007, na Maratona de Londres, uma corredora também faleceu por causa da ingestão excessiva de líquido.

Uma recomendação a todos os corredores: é de fundamental importância que todos bebam de acordo com sua sede, mesmo quando ela ainda não se manifestou, no entanto, ingerindo líquido sem exagero, pois o excesso pode trazer problemas.

Boas corridas a todos.

 

 

9 - pódium pró life

 

Valmir Terezani

A Assessoria Esportiva Podium Pró Life, com o apoio da prefeitura da cidade, realizará a 1ª Corrida das Águas, em Águas de Lindóia. A prova será realizada no dia 16 de novembro de 2013 (sábado), em percurso de 5 km, caminhada, e 10 km, corrida. A largada acontecerá às 9 horas no Espaço Burle Marx na Rua São Paulo, 911. As inscrições estão nos sites www. runnerbrasil. com.br e www. ritmocerto com.br . Qualquer dúvida ou sugestões estamos a disposição no e-mail: podiumprolife@gmail.com

O percurso da corrida será uma novidade para os atletas. Nos pontos de água há bicas naturais. Além disso, a natureza nos proporciona muito fôlego devido ao ar puro da cidade. As belas paisagens por todo o percurso transmitem muita calma, paz e alegria a todo instante.

Além de belas paisagens formadas por uma natureza exuberante, Águas de Lindóia possui fontes minerais terapêuticas que lhe deram fama internacional. Nas primeiras décadas deste século a cidade se transformou em Estância Hidromineral pelas propriedades curativas da água, e passou a receber turistas de todo o mundo.

Breve, Circuito de Montanhas e muito mais.

 

 

10 - Meninos das Vilas

 

Maria Josetania O. Teixeira

 

O que você quer ser quando crescer?

Milhões de dólares nas negociações com jogadores praticamente meninos e o destaque na mídia fazem com que o sonho de muitos seja ser um jogador futebol.

Não só os Meninos da Vila, mas também os meninos das vilas, das zonas rurais, dos centros urbanos e de todas as classes sociais sonham com isso.

O futebol pode fazer parte da vida dos meninos e meninas, não pelo dinheiro, mas porque a atividade física trabalhada adequadamente é importante no desenvolvimento motor e intelectual da criança.

Na verdade, a atividade física não apenas pode, mas deve fazer parte da vida da criança.

 

 

11- corrida na mata atlântica

 

Dr. Ruggero Bernardo Guidugli – Artigos extra constantemente atualizados em http://www.atividadefisica.net/ruggero-news/

 

A corrida de rua tem se tornado, nestas últimas décadas, o esporte que ganhou o maior número de adeptos e avança, a passos largos, para se tornar a atividade física e esportiva mais popular do país.

É simples, segura, de baixo custo e proporciona alegrias e saúde a todos que a praticam.

Poderíamos dizer que seu único inconveniente seria a poluição ambiental provocada pelos automóveis mesmo quando há bloqueio de trânsito.

O Paulinho do Corcel Negro de Taboão da Serra aproveitou o ambiente não poluído e saudável da Mata Atlântica que ainda resta naquele município para realizar, no domingo, 14 de julho, excelente mini-maratona no meio da floresta, que agradou a todos os participantes.

Sem recursos ou patrocínios, deu uma demonstração de civilidade, espírito de organização, destacando a vida ativa natural, a solidariedade social e a preservação do meio ambiente como meio saudável de vida.

Parabéns ao Paulinho e a todos que lutam pelo meio ambiente, pelas corridas de rua, pela vida saudável e pelo bem comum.

 

MATÉRIAS ANTERIORES - CLIQUE NOS MESES ABAIXO:

julho 2013, maio 2013 , abril 2013 , março 2013 , fevereiro 2013