abril 2014

MATÉRIAS DE ABRIL DE 2014- Nº 175 - JORNAL ATIVIDADE FÍSICA

1 - Salesópolis: nascente de uma corrida, 2 ª Corrida de São José

Organizada pela prefeitura de Salesópolis, teve muitos prêmios e inscrição a preço popular

 

Ariane Pratti - Corredora e redatora do jornal (esquerda)

 

Veja galeria de fotos em CORRIDA EM DESTAQUE- Como foi a São José, em Salesópolis, SP

O rio Tietê nasce na Serra do Mar, no município de Salesópolis. As Nascentes do Rio Tietê surgem entre rochas que ladeiam um pequeno lago.

Em Salelsópolis nasceu uma corrida que surgiu do ideal de incentivar a prática da atividade física na região e receber calorosamente corredores de várias localidades.

A 2ª Corrida de São José foi realizada em 30/03/14, com percurso de 7,5 Km e contou com a presença de 400 atletas das regiões do Alto Tietê, Vale do Paraíba, Litoral, Grande ABC e Grande São Paulo. Com apoio da prefeitura, a competição pôde ter preços populares: R$ 20,00 para os inscritos com mais de 60 anos e R$ 40,00 para os atletas em geral.

Correram atletas de 22 municípios: 80 de Mogi das Cruzes, 46 de Salesópolis, 33 de Suzano, 32 de São Paulo, 26 de Biritiba Mirim, 20 de Jacareí, 15 de Guararema, 8 de São José dos Campos, 7 de Itaquaquecetuba, 6 de Poá, 5 de Caraguatatuba, 5 de Ferraz de Vasconcelos, 4 de Guarulhos, 4 de Santo André, 3 de Bertioga, 2 de Cotia, 2 de Paraibuna, 2 de Osasco, 1 atleta de Arujá, 1 de Lorena, 1 de Itatiba, 1 de São Bernado do Campo, 1 de Presidente Venceslau.

Todos os concluintes receberam medalhas, que podem ser consideradas lembranças da estância turística de Salesópolis, ilustradas como os troféus, que totalizaram 90: 5 para os 1ºs colocados e 5 para as 1ªs colocadas, 5 para a categoria “Prata da Casa” (moradores de Salesópolis) e 22 para as faixas etárias: 11 para a categoria feminina e 11 para a masculina

Os vencedores da categoria geral foram Diego da Silva Oliveira, com 25 minutos 30 segundos e Claudia Alves Claro, com 36 minutos 24 segundos.

Os 1ºs colocados na categoria “Prata da Casa” foram: João Lourenço- 26 minutos 56 segundos (vice na categoria geral) e Aracy Aparecida Da Costa, com 39 minutos (3ª colocada na categoria geral). A relação completa de resultados consta em www.cronoserv.com.br

O município de Salesópolis conta com 46 atletas da equipe CACO - Correr e Andar é só Começar, resultante de ações da Prefeitura com a finalidade de incentivar a prática de corrida de rua.

A prova teve como parceiros: Jornal Atividade Física, Cronoserv, Eventos Wg, Runner Brasil, Jogging Boom e Sabesp. O apoio foi do Comércio Local, Andorinhas Mercearia e Dunga Restaurantes.

 

 

 

2 - CORPORE

Dr. David Cytrynowicz - Presidente da CORPORE

Dr. Amadeu Armentano - Presidente do Conselho Deliberativo da CORPORE

Prezado (a) corredor(a),

Em fevereiro, por volta das seis horas da manhã, cheguei ao Ibirapuera conforme a rotina.

Dia lindo, prenunciando calor.

Corredores de praxe, árvores de sempre, algumas maritacas na algazarra costumeira, pássaros vários de diversos trinados, carros, motos e bicicletas, equipes de corrida, risadas, papo de corrida, enfim, o de sempre, mas, o de sempre, não estava como sempre, não estava completo, faltava algo, ou melhor, faltava alguém.

Não foi difícil identificar, não estava treinando aquela corredora de olhos claros, riso fácil, querida por todos, que tinha invariavelmente uma palavra amiga positiva, alegre até no infortúnio de outrem ou seu, que fazia questão de disfarçar, dissimular, driblar a chateação e... continuar treinando.

Cleide, Cleide Aparecida Trindade Taiar, corredora experiente, Conselheira Corpore atuante, combativa, fiel, dona de um português invejável, não fosse ela uma mestra.

 

Pois é, na segunda-feira, tudo estava no lugar ou, quase no lugar, pois no lugar de sempre ela não estava, nem mais estaria e certamente o lugar não mais será o mesmo.

Ficam seus exemplos, sua postura, sua delicadeza, lhaneza, sorriso constante, alegria de viver sempre e sempre estará conosco vivendo, correndo, nos acolhendo.

Ficam seus tesouros, Flávia, Jorge e Luciana e nós também ficamos, certos de que um dia veremos de novo estes eloquentes e claros olhos.

Saudades,

Armentano.

 

3 - Ateroesclerose

Dr. Ruggero Bernardo Guidugli - Consultor de medicina e saúde

A ateroesclerose representa o evento patológico inicial das doenças cardiovasculares.

As doenças cardiovasculares constituem a primeira causa de óbito nos países industrializados, notadamente por suas complicações como infarto cerebral e infarto agudo do miocárdio.

A característica marcante da ateroesclerose é o acúmulo progressivo de lipídios e células inflamatórias nas artérias, provocando as mais variadas complicações no sistema cardiovascular.

Fatores de risco genéticos e ambientais influenciam fortemente o surgimento da ateroesclerose.

Os fatores modificáveis que representam a expressão do fenótipo passível de intervenção e prevenção incluem a hipertensão arterial, hiperlipemia, tabagismo, sedentarismo, sobrepeso e diabetes melitus.

Os fatores não modificáveis representados pelo genótipo, não passíveis de prevenção, constituem o envelhecimento, histórico familiar e anormalidades genéticas do metabolismo.

Portanto, a prevenção da ateroesclerose se resume na atuação no fenótipo, isto é, nos fatores ambientais, controle do peso, atuação na hipertensão e diabetes, combate ao sedentarismo, evitar tabaco, manter uma alimentação balanceada e pobre em gorduras animais. Fator muito importante é manter um estilo de vida ativo, com dieta balanceada, evitando sobrepeso, álcool e tabaco.

Ressalta-se que a prática da atividade física combate ao mesmo tempo o diabetes, a hipertensão, o sobrepeso, o estresse.

De fato, a vida moderna estressante e mecanizada não ajuda nesse sentido. Orientamos, porém, superar as adversidades sociais e tentar manter um estilo de vida ativo e saudável, pois, além de melhorar a qualidade de vida, evitará mal-estar, doenças e risco de morte súbita.

Veja o link do Dr. Ruggero: atividadefisica.net/ruggero-news

Artigo exclusivamente online de abril :

Sol também diminui risco de doenças cardíacas

 

Ariane Pratti- jornalista e corredora

 

Segundo Estudos da Universidade de Copenhagen , durante a década de 80, o sol diminui o risco de doenças cardíacas devido à vitamina D.

É recomendado que se evite o exercício ao ar livre entre 10 e 16 horas e que se use filtro solar a partir do fator 30 durante a exposição ao sol neste horário.

Porém, o filtro boloqueia a vitamina D, que é responsável pelo emagrecimento e combate à osteoporose. Por isso, é sugerido deixar ao menos as pernas sem filtro solar durante o sol mais fraco.

4 - FPA comemora 90 anos de atividades

Mauro Roberto Chekin - Presidente da FPA

Nesta entrevista, o presidente da entidade, Mauro Roberto Chekin, fala da trajetória de lutas do atletismo paulista, coalhada de bons serviços prestados e vitórias.

Em 30/01, a Federação Paulista de Atletismo completou 90 anos de história. Como a entidade se encontra após nove décadas?

R. Em 30 de janeiro de 1924, sob a presidência de Manoel Carlos Aranha, a nossa FPA foi fundada.

Começava, então, a saga de uma entidade sólida e vencedora que hoje, 90 anos depois, tem um enorme rol de contribuições sociais e de conquistas esportivas para São Paulo e para o Brasil.

Podemos nos orgulhar de nossos dias. A entidade é uma das maiores e mais consistentes instituições ligada ao esporte de São Paulo e do Brasil. Uma das poucas que possui sede própria, localizada na Rua Manoel da Nóbrega, número 800, próxima ao Complexo Esportivo do Ibirapuera, onde a maioria dos atletas de alto nível do país treina.

Seu calendário de atividades é caudaloso. Contempla todas as provas e categorias inerentes à modalidade. Assim, a FPA tem reconhecimento internacional, pois sua programação é considerada a maior do Brasil, da América do Sul e da América Latina.

A hegemonia no campo das realizações também fica evidente no número de provas de Corridas de Rua, cuja prática, nos últimos dez anos, virou febre, certo?

R. Sim. São centenas de milhares de eventos de corridas de rua realizadas anualmente em todo o estado ,reunindo cerca de 500 mil inscritos.

O trabalho da Federação Paulista de Atletismo é de fôlego. Raros são os finais de semana em que não tenha competição, envolvendo o trabalho intenso de todos os funcionários da entidade. Isso nos permite dizer que São Paulo é a locomotiva da Nação também no atletismo.

Números comprovam isso. As seleções brasileiras, em suas mais diversas categorias, da menor à adulta, costuma contar com mais de 70% de atletas cadastrados na Federação Paulista de Atletismo.

Dos 40 técnicos que o país tem registrados, 29 são do nosso Estado. Isso significa que quase 75% da seleção brasileira é paulista. A nossa responsabilidade é muito grande.

A colaboração em termos de atletas olímpicos é considerável...

R. Basta ressaltar que todos os grandes campeões olímpicos, como os medalhistas de ouro Adhemar Ferreira da Silva, Joaquim Cruz, Maurren Higa Maggi e outros que também faturaram medalhas de prata e bronze, como Nelson Prudêncio, João Carlos de Oliveira (o João do Pulo), as equipes de revezamento 4x100, o maratonista Vanderlei Cordeiro, entre outros, tiveram passagem pela escola de atletismo paulista.

E o futuro?

R. Projetamos um futuro onde se sobressairão alguns valores como: fé, trabalho, transparência de atividades, democracia participativa e a mesma disposição de luta demonstrada por nossos ancestrais.

Queremos investir na formação de jovens talentos, em parceria com os poderes públicos e a iniciativa privada.

Queremos aumentar ainda mais a nossa já expressiva participação nos selecionados brasileiros.

Queremos um estado cidadão.

Um estado onde as pessoas possam ter acesso à prática do atletismo e, através dela, agregar mais saúde, educação, cultura e inserção social a suas vidas.

A prática das corridas de rua tem especial atenção por parte da atual administração da FPA, não é?

Queremos multiplicar o número de corredores associados, tornando as corridas de rua, em franco crescimento em todo o mundo, muito mais profissionais.

Convênios, descontos e uma série de benefícios estão sendo oferecidos às mais de 200 mil pessoas que participam de ao menos uma prova do gênero por ano em São Paulo.

Tudo isso é necessário para que os participantes das corridas de rua criem uma identificação conosco e com o esporte em si, para que eles não façam da corrida de rua uma aventura.

E no quesito pista e campo?

Precisamos fazer da ida das pessoas a uma pista de atletismo um programa também cultural, com shows, peças de teatro e outras atrações. Essas medidas aumentarão o grau de interesse em relação ao evento. E nada reduzirá em sua parte técnica.

Temos, ainda, a intenção de interiorizar o atletismo, levando o esporte para a maior quantidade possível de lugares.

Os cursos de árbitros que serão instalados em 14 cidades ainda neste primeiro semestre de 2014 são uma boa amostra das proporções de nossos objetivos.

 

5 - Pequenos Grandes Atletas

 

Rosa Domingues Stancati

 

Os atletas mirins acima foram os vencedores das enquetes do site do jornal, na seção “Pequenos Grandes Atletas”.

Seja você também incentivador da prática de exercícios na infância! Confira as corridas infantis na agenda deste jornal ou veja a atualização no site www. atividadefisica.net

Não perca a tradicional Corrida Infantil do Parque da Aclimação, em São Paulo, dia 25/05/14

www.atividadefisica.net/aclimacao

Tel: (11) 99839-5874. e-mail:f7chicoassis@yahoo.com.br

 

Rafaela D’Alberti, 12 anos. Corredora e Guia -São Paulo - Filha da corredora Sandra D’Alberti

 

Renan Borges- corredor, 12 anos. Nova Iguaçu, RJ - Filho da corredora Luciana Borges

 

6 - A emoção de correr uma prova internacional

Já participou de corrida internacional? Comente no fórum no site www.atividadefisica.net no link de corridas internacionais, conte sua experiência e poste suas fotos!

Prof. Luis Eduardo Tavares

No dia 07/01/14 levei um grupo de 60 pessoas para a Disney. Neste ano, a organização lançou um desafio maior, o chamado Desafio do Dunga que consiste em correr quatro distâncias, uma em cada dia (5k, 10k, 21,1k e 42,2k).

 

FAMILY RUN (5 km)

Chegamos quarta-feira, dia 08/01 em terras americanas. Após organizar o “check in” do pessoal no hotel, levei o grupo para a retirada do kit e visita à feira de esportes.

Na quinta-feira, embora a largada da Family Run fosse às 6 h, tínhamos que chegar cedo à concentração para evitar problemas, dado o grande número de atletas inscritos. A Family Run é mais que uma corrida de 5 km em torno do Epcot Center. Podemos ver atletas empurrando carrinhos de bebê, outros correndo com seus cachorros, parentes caminhando e confraternizando, por isso a denominação “Corrida da Família”.

Terminada a prova, voltamos ao hotel e então fomos para as compras no Shopping Florida Mall.

WALT DISNEY WORLD 10-K

O percurso de 10 km é maravilhoso, com vários personagens por todo o caminho e passando pelos Studios Disney e Epcot Center.

Todos os atletas tiraram de letra essa corrida, afinal o ideal foi se pouparem nas duas primeiras distâncias do desafio.

À tarde fomos às compras novamente.

MEIA MARATONA (21 KM)

No sábado, todos prontos para encarar os 21,1 km, cuja distância, convenhamos, é para atletas realmente preparados. Eu já podia ver no rosto de cada atleta uma mudança, um ar de seriedade, concentração e foco na corrida.

Às 5:30 h da madrugada, cerca de 30 mil participantes divididos em 16 “currais” de A a L, com intervalo de dois minutos entre eles, largaram para concluir a meia-maratona. Medida impecável, que evitou um provável congestionamento.

Ao longo do percurso, muita água, isotônicos a cada milha, além de frutas, gel, chocolate, bem como muitos personagens da Disney nas ruas, e muita gente parando para tirar fotos com eles.

Depois dessa penúltima batalha, nada melhor do que uma piscina do hotel para relaxar, recuperar-se do desgaste e confraternizar. À tarde fomos almoçar em Downtown Disney .

DOPEY CHALLENGE

Domingo, o dia da batalha final para superar os 42.195 metros para concluir o grande Desafio do Dunga!

No lobby do hotel, apenas os super guerreiros maratonistas prontos para a batalha e com suas estratégias físicas e mentais. Mas todos com um sentimento em comum, torcendo uns pelos outros para voltarem com mais três medalhas ao final da corrida.

Assim que chegamos na concentração, fomos para os nossos respectivos currais, e foi uma bela de uma caminhada de aproximadamente 1000 metros.

Larguei tendo em mente que faria uma prova de longa duração. Essa foi a minha estratégia, já que não seria rápido em razão da minha recuperação muscular. Assim fechei a prova em 6 h e 31 minutos, bastante feliz e satisfeito.

 

O PÓS MARATONA

Corro há décadas, mas é sempre gostosa a emoção de cruzar a linha de chegada de qualquer prova. O mais bacana é que, depois que tudo isso passa, tomamos a noção da dimensão do nosso feito.

Uma curiosidade foi a interação que tivemos com todos os amigos do Facebook ao longo de toda a aventura desde a nossa partida no Brasil. À medida que postávamos as fotos dos aconte

cimentos, podíamos sentir a vibração e incentivo das pessoas. No dia da maratona, demoramos para retornar ao hotel para postar fotos e notícias, mas havia muitas postagens com incentivos, torcida e perguntas sobre se havíamos chegado bem.

Enfim, foi realmente um grandioso desafio vencido por todos os atletas que encaram suas distâncias com coragem.

Astrogildo

 

 

7 - Individualidade Biológica

Prof. Luis Felipe Polito

Muitas são as perguntas referentes aos meios e método de treinamento mais adequado para se alcançar qualidade de vida, performance e resultados.

A teoria do Treinamento Desportivo trabalha fundamentada em alguns princípios básicos, dentre eles o Princípio da Individualidade Biológica, que preconiza que cada organismo responde de uma maneira específica frente a um dado estímulo, cabendo ao profissional de Educação Física saber identificar as respostas metabólicas, fisiológicas e biomecânicas frente ao processo de treinamento e, a partir disso, reorganizar a magnitude da carga de esforço.

Deste modo podemos concluir que o treinamento, quando generalizado, possui grande chance de não surtir o efeito esperado no organismo.

 

 

8 – Damas

Brasileiros têm se aplicado para obterem resultados internacionais neste esporte.
 

Edélcio Pessi

O Brasil se encontra entre as 3 maiores potências mundiais no jogo damas de 100 casas. São 20 pedras contra outras 20. O Brasil tem atualmente o campeão das Américas que disputou o campeonato mundial de jogos intelectuais em Pequim.

Em 27/12 do ano passado, Lucas Massola, revelado há 4 anos no torneio Dirso Rei de 100 casas, ganhou o bronze no mundial Júnior realizado em Paris.

Confira novidades sobre damas no blog jogodedamasdomoises. blogspot.com.br e também no site www. topdam.com.br/ topdam.htm, o site da Confederação Brasileira do Jogo de Damas, que tem calendário nacional de jogos, com prêmios em dinheiro.

9 - Gradiente térmico

Rosana Guidugli Varga - Carlos Alberto da Silva – Ultramaratonistas

Altas temperaturas, sensação térmica sufocante. E agora? O que fazer?

Devemos ter total cautela e atenção para a prática de atividade física sob temperaturas muito elevadas. A prática de atividades físicas em temperaturas altas promovem o aumento na concentração sanguínea de lactato, e altas temperaturas nos tecidos podem provocar alterações estruturais e funcionais nas proteínas celulares envolvidas no transporte eletrolítico por meio da membrana celular e do retículo sarcoplasmático e durante a respiração mitocondrial, antecipando a fadiga muscular com a redução da performance atlética.

O exercício prolongado em um ambiente quente implica em um aumento da temperatura corporal que pode acarretar inclusive a hipertermia. Esta pode diminuir o desempenho físico devido ao comprometimento do sistema nervoso central. A atividade física no calor é limitada quando a frequência cardíaca do praticante aproxima-se do nível máximo, principalmente tratando-se e iniciantes, ou, ainda, aqueles não estão aclimatizados às altas temperaturas.

O calor externo provoca vasodilatação e diminui o retorno do sangue ao coração que tem que bater mais rápido para compensar a concentração de sangue nos vasos periféricos. A simples mudança de temperatura já aumenta o trabalho do coração mesmo em condições de repouso e provoca necessidade de intensa hidratação.

O aumento na temperatura ambiente diminui o gradiente térmico entre o meio ambiente e a superfície da pele, entre esta superfície e o centro do corpo. Pode ocorrer o ganho de calor quando a temperatura ambiente é mais alta que a temperatura da pele. Durante a atividade física prolongada em um ambiente quente, existem barreiras para a perda do calor podendo ocasionar a um aumento extremo na temperatura e limitar bruscamente a capacidade do indivíduo executar esforço físico em uma temperatura elevada.

Portanto, evite a prática ao ar livre das 10h às 17h quando estiver quente demais, além de seguir o princípio básico da hidratação: esta deve ser feita antes durante e após o exercício.

 

10 - Plano equilibrado para a ingestão de líquidos

Muito além de água só para matar a sede...

Prof. Carlos Ventura - Técnico de atletismo

É importante todos os atletas terem um plano equilibrado para a ingestão de líquidos, antes durante e após a corrida.

A água faz parte de 60% do peso corporal masculino e 55% do peso corporal feminino.

A água é eliminada pela urina, pelo suor, pelas fezes, por isso é sempre importante sua reposição rápida.

Em muitas corridas longas, como as maratonas, já aconteceram casos de óbitos devido à hidratação inadequada, isto já ocorreu por duas vezes na Maratona de Chicago com duas corredoras.

Bebidas isotônicas suprem as perdas decorrentes da sudorese com muita eficácia.

Para uma reidratação adequada e rápida é também necessária a ingestão de sais minerais em quantidades equilibradas.

A ciência mostra também que atletas que ingerem líquidos apresentam uma temperatura interna menor e um batimento cardíaco adequado.

Durante a corrida competitiva ou mesmo nos treinos é sugerido que haja a ingestão de líquidos com frequência. A bebida facilita a transferência de fluidos e nutrientes para o sangue.

A sede, quando surge, já é tarde, é sinônimo da queda de desempenho e esgotamento.

A cerveja tem alto valor calórico, porém não é fonte adequada de energia. Além disso, o álcool é bastante diurético e por isso não é o ideal antes da corrida, já que o corredor vai precisar interrompê-la.

Os refrigerantes, devido ao alto percentual de carboidratos, oferecem uma absorção lenta e faz com que a parede do estômago tenha uma distensão.

Suco de laranja e água de coco são pobres em sódio e a absorção é lenta devido a seu açúcar natural, a frutose. Por isso, a água de coco é um ótimo hidratante para exercícios menos intensos do que a corrida, co-mo a caminhada de até uma hora de duração.

Necessária se faz a presença de minerais encontrados em alimentos naturais combinados com proteínas, gorduras e carboidratos. Dentre os minerais são importantes os que encontramos no fígado, peixe, brócolis e miúdos, principalmente.

Vale lembrar que, conforme já foi publicado neste jornal, em agosto de 2013, o atleta deve hidratar-se sem exageros para evitar a hiponatremia, nem que seja para molhar a boca apenas.

 

 

 

 

Abaixo estão os links das matérias de outros meses em que foram publicadas no jornal Atividade Física, é só clicar.

fevereiro de 2014, dezembro de 2013, novembro de 2013, outubro 2013, setembro 2013, agosto 2013, julho 2013, maio 2013, abril 2013 , março 2013 , fevereiro 2013