abril 2013

MATÉRIAS DE ABRIL DE 2013 - NÚMERO 166

Atividade Física / Norteador

  

 

ÍNDICE DAS MATÉRIAS DE ABRIL DE 2013, NÚMERO 166

1) Corpore

2) 15 anos: Norteador / Atividade Física

3) São Paulo é a locomotiva do Brasil também no atletismo

4) Obesidade avança no Brasil: precisamos agir

5) MS, peso e corrida

6) O benefício da atividade física para pessoas hipertensas

7) Educativos de corrida

8) Futebol e cidadania

9) Corridas antigas

10) Dores na canela

11) IX 5 km do Mancha - 2013

12) O que comer antes, durante e depois da corrida

 

1) Corpore

 

Dr. David Cytrynowicz -Presidente da CORPORE

Dr. Amadeu Armentano - Presidente do Conselho Deliberativo da CORPORE

 

Prezado(a) corredor(a),

Pietro Paolo Mennea, nascido em Barletta a 28 de junho de 1952 e detentor do recorde mundial dos 200 metros rasos, com o tempo de 19:72, nos Jogos Olímpicos de Moscou em 1980, faleceu em Roma a 21 de março de 2013.

Esta notícia triste, como quase toda notícia de falecimento o é, não teria maior relevância se não tratasse da morte de um supercampeão, dentro e fora das pistas.

Pietro Mennea, ou "Flecha do Sul", manteve o recorde mundial dos 200 metros rasos de 1980 a 1996, dezessete anos, quando, finalmente, sua marca foi batida por Michael Johnson, com o tempo de 19:66.

Hoje, a melhor marca do mundo para os 200 metros rasos pertence a Usain Bolt, que atingiu 19:19 em 2009.

Pietro Mennea foi também campeão europeu dos 100 metros rasos, em 1978.

Realizou a façanha de ter chegado a quatro finais olímpicas consecutivas nos 200 metros rasos.

Fora das pistas, formou-se em Direito e chegou a Deputado do Parlamento Europeu em 1999, cargo que exerceu até 2004.

O mundo do esporte está de luto e, em particular, o da corrida, que perdeu, cedo demais, um de seus mais destacados membros, mais queridos membros, um de seus mais diletos exemplos.

Certas existências, neste plano, são como luz de sóis, que viajam por muito, muito tempo, iluminando muito e muito o caminho, as pistas, os estádios, as vidas por onde passam, como flechas de luminescência, como a "Flecha do Sul".

Abraços,

Armentano

Pietro Paolo Mennea

 

2) 15 anos: Norteador/ Atividade Física

 

Ariane Losada Pratti  - Editora do jornal Norteador / Atividade Física

O jornal Norteador é continuação do jornal Atividade Física, e recebeu esse nome a partir de julho de 2012, objetivando informar, além da atividade física, também sobre outros temas.

O jornal impresso Atividade Física foi lançado em 5 de abril de 1998. Portanto, completou 15 anos.

Foi criado para ser um jornal compacto, conciso, de fácil leitura, de muita informação e também de incentivo à prática da atividade física, lazer e hábitos saudáveis que proporcionem qualidade de vida.

Os calendários de corridas por data, estado e cidade, outras competições, matérias, Ruggero News e diversos assuntos estão nos sites www.jornalnorteador.com e www.atividadefisica.net

 

3) São Paulo é a locomotiva do Brasil também no atletismo

 

 

Mauro Roberto Chekin – Presidente da FPA e Gestor Esportivo

A frase é do presidente da Federação Paulista de Atletismo (FPA), Mauro Roberto Chekin. Nessa entrevista ele comenta o lançamento, pelo governo Geraldo Alckmin, de mais quatro Centros de Excelência Esportiva. E afirma: “Com a iniciativa, São Paulo ganha ainda mais em estrutura, mantendo e ampliando a sua hegemonia no atletismo nacional”.

Como o senhor analisa o anúncio de mais quatro Centros de Excelência Esportiva anunciados pelo governo paulista?

Analiso como algo fundamental para o desenvolvimento do esporte em São Paulo e no Brasil. O governador Geraldo Alckmin e seu secretário de Esportes, Lazer e Juventude, José Auricchio Junior, demonstram, mais uma vez, a grande sensibilidade social que os caracterizam, pois que pensam em gente de forma primordial.

Quais são os novos quatro Centros?

Ganharão núcleos exclusivos as cidades de São Bernardo do Campo, Guarulhos, Osasco e Taubaté. O Estado, portanto, passará a contar com 17 Centros de Excelência. É importante ressaltar que esses núcleos são descentralizados, atendendo a população paulista como um todo, através do conceito de macrorregiões. Isso possibilita atender os atletas nas proximidades de seus redutos, além de promover a massificação do atletismo.

Nessa geografia, onde estão localizados os Centros de Excelência?

Os 300 jovens que integram o programa encontram infraestrutura adequada para sua evolução técnica em Itapetininga, São José dos Campos, Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Presidente Prudente, Sertãozinho, São José do Rio Preto, São Paulo (quatro núcleos), além, agora, de São Bernardo do Campo, Guarulhos, Osasco e Taubaté.

Qual o papel da Federação Paulista de Atletismo nesse programa?

A FPA desenvolve o projeto, que já formou 1.500 atletas que hoje representam o Brasil em competições nacionais e internacionais, em parceria com a Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude. Assim, atua firmemente para preservar e incentivar a nova geração de atletas do País para as próximas Olimpíadas. Julgo indispensável destacar as palavras de Geraldo Alckmin durante a solenidade de lançamento das quatro novas unidades.

Quais foram?

Nosso governador afirmou que a Olimpíada de 2016 é do Brasil e que São Paulo ajudará bastante com seus atletas. Enfatizou que esses atletas são ídolos nacionais, o que estimula crianças e adolescentes a praticarem esporte. Assim como Alckmin, nós, da FPA, consideramos que a prática esportiva agrega saúde, educação, cultura e inserção social, apartando os jovens da escalada de violência e disseminação de drogas que assolam a sociedade como um todo. O governador disse isso ao lado de astros consagrados como Arthur Zanetti e Maurren Higa Maggi, exemplos de sucesso com suas medalhas olímpicas de ouro.

Alckmin também falou sobre as bolsas de talento esportivo...

Sim, o que reforça sua visão de estadista e certamente manterá São Paulo como a locomotiva do Brasil também no esporte. Além de anunciar a ampliação dos Centros de Excelência, nosso governador reforçou sua fala ao ressaltar que, ao todo, os atletas passarão a ter 592 bolsas de talento esportivo. Outro número passado por Alckmin foi o incentivo a mais de 2.500 esportistas de alto rendimento, que devem estudar em escola pública, não ter outro patrocínio e, a família, ter no máximo três salários mínimos de renda mensal. Como avaliou o governador, isso se chama inclusão social no esporte, algo que faz a diferença.

Ao longo da cerimônia, o senhor foi muito requisitado para entrevistas. Como se expressou?

Eu disse aos jornalistas que a Federação Paulista de Atletismo está na vanguarda do esporte nacional. Em qualquer selecionado brasileiro, São Paulo responde por cerca de 80% dos atletas convocados. Para manter tal status, o apoio do governo é preponderante. Outras federações e outros estados nos têm como paradigma. A elas damos subsídios e informações. Queremos a evolução do esporte e, em particular, de uma modalidade considerada a mãe de todas as outras, pois lida com movimentos básicos do ser humano, como andar, correr, saltar, arremessar e lançar.

Esse conceito é compartilhado pelos atletas?

Sem dúvida. É o caso de Maurren Maggi, um dos nomes que saíram do Centro de Excelência e chegou ao ouro em Pequim. Segundo ela, os paulistas saem à frente do restante dos brasileiros pela estrutura. Seu técnico, o consagrado Nélio Alfano Moura, afirma: "São Paulo é o Estado que faz mais pelo esporte do Brasil. E não é de agora. A história do Centro de Excelência Esportiva prova isso, com mais de 30 anos de atividade. Com tantos núcleos será mais provável descobrir novos talentos e levá-los ao alto rendimento". Nélio é coordenador voluntário do centro de Excelência da Capital. Frisa a importância da parceria entre o poder público e a FPA. Para ele, "as escolas são os principais locais para identificar os potenciais atletas que serão grandes campeões”.

 

 

4) Obesidade avança no Brasil: precisamos agir

 

 

Dr. Ruggero Bernardo Guidugli - http://www.atividadefisica.net/ruggero-news/

 

Dr. Ruggero Bernardo Guidugli – consultor de medicina e saúde

O Ministério da Saúde, tendo tomado conhecimento dos últimos dados da epidemia de obesidade que assola o país com um custo à saúde de meio bilhão de reais ao ano, resolveu tomar medidas mais eficientes para sua prevenção.

O sobrepeso atinge metade da população, a obesidade 20% e a obesidade mórbida 3%.

   A sequela destes dados é o aumento progressivo das doenças: hipertensão, diabetes, cardiopatias, câncer de mama, entre inúmeras outras. Isto leva à piora da qualidade de vida.

   O Ministério resolveu incentivar a Educação Física nas escolas, a prática regular de esportes e de exercícios físicos pela população, além de publicar cartilha para que haja diminuição de alimentos prejudiciais, por exemplo, com excesso de sódio (sal de cozinha).

   Acreditamos, entretanto, que apenas a orientação dos postos de Saúde é insuficiente para deter a epidemia de obesidade.

   Eu, você e todos os cidadãos que têm consciência da gravidade dos problemas causados pela obesidade temos o dever de agir e de incentivar a população a mudar os hábitos, praticar atividade física e ter alimentação balanceada.

Continuaremos nesta luta pela saúde e cremos que juntos podemos divulgar os benefícios da vida saudável e proporcionar qualidade de vida para a população.

 

5) Ministério da Saúde, peso e corrida

 

Roberto Losada Pratti – Diretor do jornal Norteador / Atividade Física

Os índices sobre obesidade no Brasil mostram que a saúde da população está com problemas, pois é fator de risco.

O Ministério da Saúde (MS) planeja ações. O Dr. Ruggero, na primeira página deste jornal, ressalta a importância do incentivo à prática de hábitos saudáveis e da atividade física.

Correr de maneira adequada e prazerosa é uma atividade física que pode auxiliar muito no objetivo do MS.

Não estamos falando da corrida competitiva visando medalhas olímpicas, quebra de recordes mundiais, pódios ou mesmo recordes pessoais.

Estamos falando enquanto movimento natural do ser humano, aquele que qualquer criancinha executa quando brinca.

Então, a definição de correr não será velocidade nem superação, mas o movimento sincronizado com minimização de gasto energético em que os 2 pés em certos momentos estão afastados do solo. Isto não exclui correr rápido, muito pelo contrário, saber correr pode levar à performance e recordes.

Correr adequadamente aumenta a capacidade aeróbia, que é a capacidade da queima dos nutrientes pelo oxigênio, principalmente glicose e gordura, além de fortalecer o sistema cardiovascular, diminuindo o peso e fortalecendo o organismo, atingindo, assim, o objetivo do MS.

 

6) O benefício da atividade física para pessoas hipertensas

 

 

Valdir Camargo - www.valdircamargo.com.br

A hipertensão ou pressão alta é um fator de risco para doenças coronárias, enfarto, acidente vascular cerebral, entre outras.

A atividade física pode ser considerada um dos melhores e mais eficientes tratamentos para a hipertensão, pois, além de contribuir no controle da pressão arterial, proporcionará ao indivíduo uma vida mais saudável. Ter um acompanhamento de um profissional da área é de fundamental importância para a elaboração de sua atividade com a carga e frequência ideal de treino para cada um.

Para a melhora de sua saúde, tenha sempre o acompanhamento de seu médico e um profissional da área de educação física para elaborar seus treinos.

 

 

7) Educativos de corrida

 

 

Prof. Carlos Ventura – Técnico de Atletismo

Os exercícios educativos de corrida são fundamentais para qualquer corrdor, tanto velocistas como fundistas, mas verificamos que praticamente só os velocistas fazem educativos de corrida.

Os educativos fazem com que o atleta melhore sua postura, coordenação, equilíbrio e, consequentemente, tenham mais facilidade no desenvolvimento da corrida, além de serem ótimos para o condicionamento físico.

Os exercícios educativos eliminam vícios de postura.

Alguns corredores sofrem desgastes sem necessidade durante a corrida, por falta de educativos nos treinamentos. Podemos exemplificar que, quando o atleta corre com as mãos totalmente fechadas e apertadas, está saindo da postura adequada, pois tem melhor adequação quando corre com total descontração.

Os movimentos feitos pelos braços, postura da cabeça, a face contraída, elevação inadequada dos joelhos e o pisar podem demonstrar que o corredor não está correndo adequadamente, o que prejudica a performance.

Não canso de dizer para muitos corredores que correr exige treinamento e principalmente postura, da cabeça aos pés, passando primeiramente pelo cérebro, pois o atleta reproduz mecanicamente o treinamento e o que pensa.

 

 

8) Futebol e cidadania

 

 

Maria Josetania Oliveira Teixeira

Há jovens que buscam no esporte, principalmente no futebol, uma forma de canalizar a energia e conviver com os amigos.

Isto pode ser reminiscência da infância, quando a bola é uma amiga do menino que brinca até sozinho no campinho, na rua, no quintal ou mesmo dentro de casa.

Também pode ser fruto da projeção do futebol brasileiro no mundo, com 5 títulos mundiais e perspectiva do hexa em 2014 no Brasil.

Ou pode ser por causa do futebol de salão, de praia ou society.

Na verdade, mais importante do que a gênese do futebol na vida do jovem é o fato de que esse esporte pode melhorar a condição física e proporcionar saúde e qualidade de vida, afastando dos vícios e violência.

E praticar um esporte coletivo com regras e organização pode levar à sociabilização e formação de um cidadão.

 

9) Corridas antigas

 

 

Rosa Domingues Stancati

Nas décadas de 70, 80 e meados de 90 a corrida era incipiente, com poucas provas e poucos participantes.

Sim, no início, embora século XX e modalidade olímpica.

Nova para a pessoa comum, que não treinava regularmente.

A corrida tomou força com os livros de Kenneth Cooper e James Fixx. As vitórias de brasileiros com transmissão da TV serviram de incentivo, inclusive duas que tinham como técnico Carlos Ventura.

Quem começou a correr no início do século XXI e participa das corridas com chip, hidratação a cada 3 km, kit, dezenas de staffs, inscrição pela internet, trânsito fechado, segurança, transmissão pela TV, informes pela internet, classificação instantânea, corrida no horário, organizadores com estrutura de empresa, fotos e vídeos de cada corredor, milhares de inscritos, camisetas de alta qualidade, medalhas para todos os participantes mais bonitas do que as de campeão brasileiro de futebol, etc., não consegue imaginar como eram as corridas antigas, há pouco mais de duas décadas.

Em poucas palavras, apesar de todo o esforço dos organizadores, como não havia tecnologia nem estrutura, eram o oposto do citado acima.

 

 

 

10) Dores na canela

 

 

Prof. Luis Tavares

Qual o atleta que não sentiu dores na canela, conhecida pelo nome popular de "canelite"?

A medicina prefere o termo tibialgia para se referir ao processo doloroso do osso da tíbia. Na verdade, a origem dessa dor não é óssea, se trata de uma inflamação da membrana interóssea.

Na perna existem dois ossos: a tíbia ou "canela" e a fíbula. Entre esses dois ossos estende-se um tecido resistente que é essa membrana interóssea. Quando se anda, nas etapas em que o tornozelo faz a flexão dorsal (o pé dobra na direção da perna), a fíbula faz um ligeiro movimento para cima como se fosse um pistão, tracionando aquela membrana. É o esforço exagerado dessa região que distende a membrana interóssea e provoca a dor.

As causas dessa inflamação são:

·       Tênis inadequado para a corrida com baixo sistema de amortecimento;

·       Treino em chão muito duro;

·       Pessoas que correm com pisada predominantemente de ponta dos pés ou com batidas fortes de calcanhar;

·       Pessoas que pisam em ligeira pronação;

·       Treino em terrenos com aclives.

Para amenizar essa dor ou evitar que apareça é fundamental treinar em locais macios (grama, terra), tênis próprio para a corrida, correção das passadas e uso de palmilha amortecedora de impacto.

Veja as viagens da Equipe Tavares em www.ectavares.com.br

 

11) IX 5 km do Mancha - 2013

 

Plinio Cabral

A nona edição dos 5km do Mancha realizada em 30 de março contou com a presença de mais de 140 atletas, inaugurando a fase internacional, com a participação de atletas de Angola.

Nas oito baterias houve muita disputa, tendo se ressaltado o elevado nível técnico. Os primeiros colocados foram:

       5km masc: Manoel André Antonio  (Angola) - 15’ 51”

       5km fem: Elizabete da Silva Oliveira - 21’ 33”

       1,5km def masc: Genival dos Santos Frederico - 5’ 37”

       1,5km def fem: Edneusa de Jesus S. Dorta -      5’ 36”

Os 3 primeiros colocados de cada bateria receberam troféus. Todos os participantes receberam medalhas, camisetas, um kit de frutas e barra de cereais, além da hidratação durante e após a prova.

Mais uma vez a Equipe Leidiane/ Point/ Sevgalli/ Helicebras  se sentiu honrada com a participação de atletas de tão alto nível. Agradece à direção do SESI, à colaboração dos patrocinadores acima, Ravplacas, Gravitação Assessoria Esportiva e dos colaboradores que tornaram possível a realização do evento. No final, os atletas presentes participaram do sorteio de uma bicicleta aro 26 - 18m oferecida pela Helicebras, novo patrocinador que se aliou à Equipe.

 

 

 

12) O que comer antes, durante e depois da corrida

 

Lenycia Neri – www.nutri4life.com.br

Nunca é demais reforçar os conceitos básicos de alimentação para melhora do seu rendimento esportivo. Se você já faz parte da grande multidão que tem um grande prazer em correr, que tal melhorar a sua alimentação?

Na véspera da corrida é importante realizar um jantar a base de carboidratos e com baixos teores de fibras e gorduras. Um bom prato de massa (não recheada) ao molho de tomate é uma boa pedida.

No dia da prova opte por um café da manhã regular, com os alimentos que já fazem parte do seu dia a dia. Mas como o desjejum muitas vezes antecede muito a hora da largada, leve um pequeno reforço, por exemplo, uma banana, para próximo do horário da largada.

Durante a corrida, beba água durante todo o percurso nos postos de hidratação em pequenos goles. Corridas com duração maior do que 1 hora já necessitam reposição de carboidratos durante a corrida.

Parabéns por completar o percurso, mas agora é hora de recuperar o músculo para a próxima. Não esqueça de consumir alimentos ricos em carboidrato e proteína, associados com bebidas para reidratação. Cuide da alimentação após a corrida.

Mantenha sempre uma alimentação equilibrada e, caso tenha dúvidas de como fazer isso, procure um nutricionista.