PROF. CARLOS GOMES VENTURA

Prof. Carlos Gomes Ventura
Técnico bicampeão da São Silvestre: 1980 e 1985
 

FADIGA

29/01/2016

A fadiga no atleta com condições normais de saúde significa um decréscimo do poder de funções do seu físico, e muitas vezes também no aspecto psicológico.

A fadiga pode ocasionar de um simples mal-estar até processos dolorosos.

Todos os tecidos do corpo podem apresentar um grau de fadiga. Os órgãos dos sentidos podem sentir a fadiga um pouco tardiamente.

A fadiga pode ser muscular ou nervosa.

A sensação de fadiga varia de acordo com o nível do treinamento.

Laboratórios de aptidão física podem graduar a fadiga através de testes fisiológicos.

A sensação de fadiga varia de atleta para atleta.

A fadiga pode ser mais intensa nos indivíduos de fibras mais sensíveis quando oriunda de fatores emocionais e pode ser evitada pelo trabalho de profissionais, como técnico, professor, psicólogo.

Uma das maneiras de retardar a fadiga é a massagem, tão rara em atletas. Nossos atletas não têm o hábito da massagem, basta irmos a uma competição para vermos isso.

O fatigado pode apresentar sintomas como mal-estar e dor de cabeça.

Quando o atleta está fatigado seus músculos deixam de ter tonicidade adequada e a produção de calor diminui. 

Quando o atleta entra em overtraining, o estado de fadiga é prolongado e a fadiga pode surgir quando menos se espera.

A nutrição inadequada também origina a fadiga. Comer não significa estar alimentado, o fundamental é a qualidade dos alimentos.

Boas corridas para todos.

 

ir para a home page